Ação da Defensoria Pública em parceria com UniNorte e Instituto de Identificação emite 100 segundas vias da carteira de identidade

Mais de 300 pessoas procuraram o serviço e uma nova ação será agendada em breve para atender à grande demanda

Uma ação especial da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), em parceria com Instituto de Identificação Adelson de Melo e Centro Universitário do Norte (UniNorte), emitiu nesta sexta-feira, dia 29 de junho, 100 segundas vias da carteira de identidade em atendimento realizado no Polo Avançado de Atendimento Inicial de Família DPE/Uninorte, na Unidade 7 da Uninorte – esquina da Major Gabriel com Ramos Ferreira.

A defensora pública Melissa Credie, que coordena o Polo Avançado da DPE no UniNorte, informou que mais de 300 pessoas procuraram o serviço e, devido a esta demanda, uma nova iniciativa será agendada em breve. “Trabalhando em conjunto com a UniNorte e o Instituto de Identificação Adelson de Melo, sistematicamente buscamos solucionar as mais variadas demandas, com efetividade social”, ressaltou.

A ação faz parte da Campanha nacional “Defensoras e Defensores Públicos pelo direito à documentação pessoal: onde existem pessoas, nós enxergamos cidadãos”. O atendimento é o segundo deste tipo realizado neste ano em Manaus, como parte da campanha. A primeira ação ocorreu na unidade da DPE-AM localizada no Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC) do Shopping Cidade Leste, em maio, quando foram reemitidas 100 carteiras de identidade em menos de quatro horas.

“Além de compor com a Campanha Nacional da ANADEP, reforçamos nossa atribuição constitucional de promover a cidadania a todos, pela reemissão de documentos pessoais dos assistidos”, acrescentou a defensora pública Melissa Credie.

O universitário Marcos Vinícius da Silva dos Santos, 20, morador da Ponta Negra, foi um dos atendidos na ação especial. “Vim até a Defensoria para emitir a segunda via do meu RG devido eu ter sido furtado. O atendimento está bom e eu tenho certeza que vai se resolver, só não estou mais contente, porque não vai sair no mesmo dia o documento, o que eu entendo. Mas deram um prazo de 60 dias para telefonar e ver se está tudo certo”.

A defensora pública Melissa Credie explica que o prazo estipulado pelo Instituto de Identificação para que o assistido receba o documento é necessário para que este verifique a veracidade da documentação apresentada pelos atendidos.