Agricultor é preso pela autoria de homicídio em Novo Airão

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) prendeu de forma temporária, com prazo de 30 dias, por homicídio qualificado, o agricultor Valdizar Magalhães da Cruz, 43. Conforme o titular da DEHS, delegado Jeff David Mac Donald, o acusado é autor do homicídio de Francisco Medeiros da Silva, que era conhecido como “Chico”. O crime aconteceu no dia 17 de julho deste ano, na Comunidade Apuaú, em Novo Airão, município distante 115 quilômetros em linha reta da capital.A vítima tinha 34 anos. O cadáver de Francisco foi encontrado por populares na última quinta-feira (23/8), nas proximidades da casa de Valdizar, onde estava enterrado.

De acordo com o delegado, policiais civis lotados na 77ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), situada em Novo Airão, e a equipe da DEHS, chegaram até o infrator após receberam informações, no dia 21 de agosto deste ano, sobre o encontro de um cadáver, enterrado próximo a uma residência na Comunidade Apuaú.Durante as diligências em torno do caso, a equipe da 77ª DIP constatou que se tratava da casa do agricultor e o intimou para prestar esclarecimentos na delegacia.

“Francisco e Valdizar já tinham se desentendido em um bar que fica naquela região, após consumirem bebida alcoólica. No dia do crime, “Chico” teria ido à casa de Valdizar por volta das 3h da madrugada e o ameaçado de morte, exibindo uma faca do tipo peixeira. Na sequência, o agricultor buscou uma espingarda dentro do imóvel e efetuou um único disparo, que atingiu a cabeça de Francisco. Em seguida, o infrator enterrou o corpo da vítima perto de um igarapé, nas proximidades da casa onde morava”, explicou Mac Donald.

Em depoimento na 77ª DIP, no dia 22 de agosto deste ano, o infrator negou ter cometido o crime. Valdizar argumentou que “Chico” apenas havia ido até a residência dele para pedir emprestada uma canoa para pescar. Desde então não foi mais visto. Mac Donald destacou que após o encontro do corpo, a equipe de investigação da especializada passou a atuar no caso.

“No último domingo (26/8), nossas equipes encontraram uma espingarda calibre 20 em posse de Valdizar. Em seguida ele foi levado à 77ª DIP, onde confessou ter usado a arma de fogo para cometer o homicídio. A arma será enviada para perícia, a fim de fazermos uma possível comparação de balística”, disse o titular da DEHS.

O mandado de prisão temporária, por homicídio qualificado, em nome de Valdizar, foi expedido no dia 26 de agosto deste ano, pelo juiz Caio César Catunda de Souza, no Plantão Criminal. Valdizar foi indiciado por homicídio qualificado. O infrator irá permanecer custodiado no prédio da DEHS, até a conversão do mandado de prisão temporária, com prazo de trinta dias, para preventiva, já representado pelo delegado à Justiça. Após a conversão, ele será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

FOTO: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas.