Ajudante de pedreiro é preso por envolvimento em homicídio de adolescente

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) cumpriu mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado em nome do ajudante de pedreiro Fernando Bezerra de Souza Bentes, 20, envolvido na morte de Mirelle dos Santos Carvalho, ocorrida no dia 31 de julho de 2017. A vítima tinha 17 anos e teve o corpo carbonizado, encontrado em uma lixeira na Comunidade Fazendinha, bairro Cidade de Deus, zona norte da capital. As informações são do delegado Jeff David Mac Donald.

Os trabalhos em torno do caso foram apresentados durante coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (4/9), no prédio da unidade policial. Conforme Mac Donald, a ação que resultou na prisão de Fernando foi deflagrada no dia 25 de agosto deste ano, em Lábrea, município distante 702 quilômetros em linha reta de Manaus. Na ocasião, as equipes da DEHS contaram com o apoio de policiais civis da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Lábrea e policiais militares lotados naquele município, que prenderam o infrator após o recebimento de denúncia anônima, informando a localização dele.

“O mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado, em nome de Fernando, foi expedido no dia 28 de setembro de 2017, pela juíza Andrea Jane Silva de Medeiros, no Plantão Criminal. No dia 3 de agosto de 2017, Fernando e um comparsa, identificado como Adriano Penedo da Silva, 23, foram até o prédio do 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde confessaram a autoria do crime. Por não se tratar de um flagrante e não haver mandados de prisão preventiva em nome deles, ambos foram liberados após prestarem esclarecimentos”, explicou o delegado.

Conforme o titular da DEHS, em um primeiro depoimento, Fernando alegou que mantinha um relacionamento amoroso com a vítima e que teria cometido o homicídio por ciúmes, porém, em outros depoimentos, ele desmentiu essa versão. Ele alega que possuía dívidas com uma traficante de drogas, identificada como Libian Fabrinne Baraúna Veras, e que havia recebido ordens dela para executar Mirelle, além de ter sido obrigado a dizer que tinha um relacionamento amoroso com a vítima. Libian foi presa no dia 21 de dezembro de 2017, pelas equipes da DEHS, 30º DIP e policiais militares da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

Entenda o caso – Carbonizado, o corpo de Mirelle foi encontrado no 31 de julho de 2017, na Comunidade Fazendinha, bairro Cidade de Deus. Ao longo dos trabalhos investigativos realizados pelas equipes da DEHS, foi constatado que o crime foi cometido por Fernando, Adriano e Libian.

Conforme o delegado Torquato Mozer, então delegado-adjunto da especializada, Libian Fabrinne comandava um ponto de comercialização de drogas naquela área da cidade. Durante uma discussão, Libian, juntamente com Adriano e Fernando, passou a torturar a jovem e agredi-la com pauladas. A vítima também teve os cabelos escalpelados. Mozer destacou que, após cometerem o homicídio, Libian e os comparsas enterraram o corpo de Mirelle, porém, com receio de que o cadáver fosse encontrado, decidiram atear fogo nos restos mortais da adolescente.

Indiciamento – Fernando foi indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Ao término dos procedimentos cabíveis na DEHS, ele será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá ficar à disposição da Justiça.

O mandado de prisão preventiva em nome de Adriano foi expedido e o rapaz está sendo procurado pela polícia. Quem puder colaborar com informações que ajudem as equipes da DEHS a localizar e prender Adriano Penedo da Silva, entrar em contato pelo disque-denúncia da especializada: (92) 99184-4434. A Polícia Civil assegura o sigilo da identidade dos informantes.

FOTO: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas.