Ajude a dona Marina na luta contra o câncer e contribua com a vaquinha solidária 

Com sintomas que podem ser confundidos com os de osteoporose, o mieloma múltiplo atinge quase 230 mil pessoas ao redor do mundo, conforme estatísticas da International Agency for Research on Cancer (IARC). Somente no Brasil, surgem 7,6 mil novos casos a cada ano, de acordo com o Instituto Oncoguia. A dona de casa Marina de Souza Ferreira, 60 anos, é uma das vítimas da doença e precisa de ajuda para o tratamento.

Diagnosticada em dezembro de 2017 com esta espécie de câncer de medula que afeta as células plasmáticas, Marina conseguiu, com auxílio da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (HEMOAM), autorização para iniciar o tratamento no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), a partir do próximo dia 17 de setembro. Ela fará transplante de medula no local. O hospital é o melhor no tratamento do mieloma e também poderá tratar de problemas cardíacos preexistentes.

O único obstáculo está no fato de que ela e a filha, a jornalista Bruna de Souza Ferreira, precisarão se manter na capital do país durante o período de tratamento. Marina não é aposentada nem tem renda e Bruna não terá como arcar sozinha com os custos de hospedagem, transporte e alimentação.

Para garantir recursos, estimados em pelo menos R$ 12 mil, a jornalista aderiu à proposta do site “Vakinha” e criou a vaquinha “Ajude Marina na luta contra o mieloma múltiplo”. Quem quiser participar da campanha, só precisa clicar em “contribuir”, especificar seus dados e escolher a forma de pagamento.

Já os que evitam este tipo de plataforma, podem fazer suas doações para a conta poupança de Bruna (dados abaixo). De pouquinho em pouquinho, será possível auxiliar Marina na luta contra a doença.

Sobre a doença

A doença causa dores ósseas semelhantes à osteoporose, por isso a dificuldade no diagnóstico. De acordo com a Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (ABRALE), na maior parte dos casos, o mieloma múltiplo surge em pessoas com mais de 70 anos de idade. Pode ser assintomático, quando os plasmócitos se infiltram em pouca quantidade na medula óssea, e a produção de componente M é pequena, e sintomático, quando o volume de células aumenta muito.

Segundo a International Myeloma Foundation (IMF), geralmente a doença tem crescimento lento, mas também pode ser agressiva. Conforme a Fundação, a doença pode causar inúmeros problemas médicos, incluindo dano ósseo, cálcio sanguíneo elevado, baixas contagens no hemograma (especialmente anemia), predisposição a infecções e dano renal. Em agosto de 2017, o cantor Luiz Melodia morreu, aos 66 anos, em decorrência de um mieloma múltiplo.

Embora não exista uma cura, é uma doença eminentemente tratável. Ainda de acordo com a IMF, os exames iniciais, o estadiamento (processo para determinar a extensão do câncer presente no corpo de uma pessoa e onde está localizado) e a classificação do prognóstico são essenciais para decidir o tratamento, que envolve desde quimioterapia a cirurgia e transplante de células-tronco.

Dados para doações

Plataforma online: Vakinha
Nome da vaquinha: Ajude Marina na luta contra o mieloma múltiplo
Link: http://vaka.me/ty7wzw

Conta Poupança de Bruna
Agência: 1043
Conta: 00041423-8
Nome: Bruna de Souza Ferreira
Banco: Caixa Econômica Federal

Compartilhe