Alunos do Amazonas recebem medalhas e certificados na premiação da Obmep 2017

Na noite desta quinta-feira, (14), alunos da rede estadual, municipal e da rede privada de ensino, foram premiados com medalhas e certificados pela participação e destaque na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) edição 2017. A solenidade aconteceu no auditório Eulálio Chaves, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), localizado na avenida General Rodrigo Octávio, Coroado I, Zona Leste de Manaus.

Alunos da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC-AM), tanto da capital como do interior conquistaram 82 medalhas na competição educativa, sendo 5 de ouro, 8 de prata e 69 de bronze, além de 300 menções honrosas.

A secretária adjunta da Capital da SEDUC-AM, Helen Cristina Matute, representou o titular da secretaria, professor Lourenço Braga, e parabenizou os alunos, pais e professores na cerimônia. “Eu me dirijo aos alunos parabenizando por esse feito, sei que não é fácil, mas continuem na busca do aprendizado; aos pais que dão apoio aos seus filhos, porque se eles chegaram até aqui foi com o apoio da família. Agradecer aos professores que diuturnamente se empenham no papel tão bem realizado na sala de aula, levando aos alunos o conhecimento”, disse Matute.

Medalhista de Ouro

Para os alunos medalhistas de ouro Rafael Pedro e Gabriel Dias, do 8º ano do Ensino Fundamental, as participações na olimpíada são motivadoras para continuar. “Esta é a segunda vez que participo da Obmep. A primeira ganhei a prata, isso me encorajou muito para seguir em frente e nesta edição consegui o ouro”, disse Pedro.

Gabriel fala do sentimento da conquista. “Na minha primeira olimpíada em 2016 fiquei muito feliz por conquistar o bronze, já nesta edição ganhei medalha de ouro, não esperava porque eram muitos concorrentes. É emocionante estar entre os melhores do Brasil”, destaca o aluno, que junto com Rafael estudam na Escola Estadual de Tempo Integral Marcantônio Vilaça 2, na Zona Norte de Manaus.

Completando o quadro de medalhistas de ouro da rede estadual de ensino estão: Lucas Rafael Braga Nascimento, da Escola Estadual de Tempo Integral Marcantonio Vilaça 2; Álvaro José Pedroso Pena, da Escola Estadual Tenente Coronel José Cândido Mariano; e a aluna Rebeca Aimee Lima de Lima, da Escola Estadual Brigadeiro João Camarão Telles Ribeiro. Todos os medalhistas de oiro receberam no evento apenas certificados, já que a premiação para esses alunos acontecerá em agosto deste ano, no Rio de Janeiro, onde receberão a tão esperada medalha de outro. No final do evento foram premiados professores de matemática e as escolas da rede estadual que mais se destacaram na competição.

Interior do Estado

A cerimônia contou com a presença do aluno medalhista de bronze, Marcos Mota, que veio do município de Coari (localizado a 435 km de Manaus), para participar do evento. “É sempre uma alegria participar de uma cerimônia com essa grandeza e representando o município de Coari. É bom ver o crescimento de alunos do interior que conquistam e são destaque nas olimpíadas de matemática, espero que cava vez mais alunos participem” enfatiza Mota que é aluno da Escola Estadual João Viera.

Edição 2018

Neste ano, as provas da primeira fase Obmep foram aplicadas nas escolas estaduais da capital e do interior do Amazonas no dia 5 de junho. Uma média de 335 mil alunos da rede pública estadual do Amazonas está participando da competição.

A segunda fase da olimpíada está prevista para o dia 15 de setembro, com provas discursivas aos alunos selecionados. A prova terá seis questões e será realizada em locais designados pela organização da Obmep.

A Obmep é realizada pela Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e é direcionada aos estudantes matriculados no 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio de escolas públicas da rede estadual, municipal, federal e privada de ensino.

Objetivo

A competição educativa tem como objetivos principais: estimular e promover o estudo da Matemática no Brasil; contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica, possibilitando que o maior número de alunos brasileiros possa ter acesso a material didático de qualidade; promover a difusão da cultura matemática; dentre outros.

Foto: Salomão Júnior/SEDUC