Alunos do SESI Amazonas vencem Desafio de Robótica em Brasília

Olimpíada do Conhecimento 2018 - Desafio de Robótica Brasília (DF) 04.07.2018 - Foto: Sergio Lima/CNI

As equipes “4Legends” e “Genius.com”, formadas pelos alunos da Escola SESI Abrahão Sabbá, de Itacoatiara, e Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, do Aleixo, conquistaram respectivamente o 1º e 3º lugar no Desafio de Robótica na Indústria em Brasília, de 3 a 8 de junho. A competição integrou a programação da Olimpíada do Conhecimento 2018. O 2º lugar ficou com a equipe “Albatroid”, do Distrito Federal.

O Desafio conta com uma série de missões organizadas pelo Serviço Social da Indústria (SESI) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para resolver o problema de uma indústria. Os robôs devem ser programados para executar de forma autônoma e teleguiada as missões dentro das atividades.

“A mostra de robótica foi uma simulação de um campeonato. Montado pelos próprios alunos, os robôs demoraram de 2 a 3 meses para serem desenvolvidos e realizar as tarefas voltadas para oito setores industriais”, explicou o coordenador do Amazonas de robótica, Glauco Soprano.

Na arena de missões, composta por três mesas, os desafios incluíam simulações de tarefas voltadas para o dia a dia das indústrias nos setores: têxtil, construção civil, máquinas e equipamentos, celulose e papel, mineração, frigorífico e panificação.

No total, 240 alunos da Educação Básica Articulada com Educação Profissional (EBEP) do SESI e do SENAI de todo o Brasil formaram 48 equipes oriundas de 23 estados e o Distrito Federal. De acordo com o técnico de robótica da Escola SESI Abrahão Sabbá, Eduardo Souza, as etapas da missão tinham cerca de dois minutos para execução, divididas em períodos autônomos e teleguiados, e a indústria só funcionava se o robô conseguisse realizar a missão.

“Esse ano, o tema trabalhado foi interessante para a preparação do aluno, que no futuro vai entrar no mercado de trabalho e se deparar com essas atividades e, melhor ainda, poderá descobrir no desenvolvimento das missões onde aplicar determinadas funções e em que segmentos atuar”, disse Souza.

A perspectiva de atuação dentro do mercado de trabalho nas missões levou a equipe “4Legends” a desenvolver um robô simples por conta do tempo de construção curto, porém dentro da proposta das mesas (da competição) e das atividades voltadas para o funcionamento das indústrias.

“Percebemos que alguns adversários tinham um robô até mais elaborado que o nosso, com muitos sensores e garras diferenciadas, porém focamos nas atividades que eles iriam elaborar e fizemos possíveis ajustes para aplicar na hora da prova”, disse o aluno da Escola SESI Abrahão Sabbá, Horivaldo França Júnior, de 16 anos.

Para o estudante do 2ºano do ensino médio e aluno do curso técnico de administração do EBEP, as missões focadas nos setores industriais são criadas, objetivando o mercado atual. “O que o mercado quer agora é em pouco tempo conseguir um bom resultado para a empresa e, com o robô, conseguimos aplicar isso”.

Participante pelo segundo ano consecutivo na Olimpíada do Conhecimento, o aluno Ronaldo Coutinho, 16, percebeu que a união para construção e desenvolvimento das missões serviu como diferencial da atuação da equipe de Itacoatiara. “Costumo participar dos campeonatos porque é algo que me desperta bastante interesse, sobretudo na parte de programação e montagem de robôs e, na equipe, sempre deixamos claro que nos processos de desenvolvimento todos devem opinar para no final o resultado ser em conjunto”.

No ranking final das partidas, no dia 5, a 3ª colocada foi à equipe “Genius.com” da Escola SESI Emina Barbosa Mustafa, o aluno do 1º ano do ensino médio, Mário José Netto, 15 anos, desenvolveu a aptidão para robótica dentro das aulas de educação tecnológica do SESI. “Gosto da área e dentro de desafios como esse aprendemos bastante aquilo que desenvolvemos dentro de sala de aula”.