Amazonas confirma 1.232 casos sarampo com Manaus e Manacapuru liderando

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) divulgou nesta terça-feira (04/09) a 24ª edição do Boletim Epidemiológico do Surto de Sarampo. O Amazonas tem 9.196 casos notificado da doença, distribuídos em 46 municípios. Em uma semana, foram notificados 253 novos casos em todo o Estado.

Os municípios com o maior número de notificações são Manaus, com 6.958 casos, e Manacapuru com 911. Também tem significativo número de casos notificados: Itacoatiara (109), Parintins (70), Iranduba (64), Coari tem (49), Autazes (45), Rio Preto da Eva (42), Manaquiri (40), Novo Airão (32) e Careiro (30).

São 1.232 casos confirmados de sarampo, dos quais 871 em Manaus, 194 em Manacapuru e 163 nos seguintes municípios: Itacoatiara (44), Autazes (21), Coari (24), Parintins (20), Iranduba (16), Rio Preto da Eva (13), Novo Airão (11), Presidente Figueiredo (10) Tapauá (03) e Barcelos (01). Foram registrados, até o momento, quatro óbitos pela doença, sendo três deles em menores de um ano – dois em Manaus e outro em Autazes. A quarta vítima é uma mulher adulta, de Autazes.

Campanha prossegue até o dia 14 – O Secretário Estadual de Saúde, Orestes Guimarães de Melo Filho, destaca a importância da vacinação em massa pelos municípios e lembrou que a campanha prossegue até o próximo dia 14 de setembro para que todos possam alcançar a cobertura de 95% do publico alvo. “Lembramos que a campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo e a Poliomielite ainda está em andamento. Temos vacinas nos postos, então, não podemos ter desculpa para não vacinar as crianças” disse o secretário.

Cobertura vacinal – Até o momento, a cobertura vacinal no Amazonas está em 92,82% para sarampo, o equivalente a 281.879 crianças, e 88,12% para a pólio, ou 267.375 imunizados. O Estado segue com 12 municípios com coberturas abaixo de 50% para uma ou as duas vacinas.

No Amazonas, por ocasião do surto de sarampo, a vacina é obrigatória para crianças de seis meses até menores de cinco. Para a pólio, a faixa etária é a mesma nacional – 12 meses a menores de cinco anos de idade.

De acordo com a diretora técnica da FVS, Rosemary Costa Pinto, a principal estratégia usada para combater o avanço da doença é a vacinação com a tríplice viral. “Melhorando as coberturas vacinais, a pessoa imunizada, além de se proteger, também protege o coletivo”, disse a diretora.

Campanha Nacional Prorrogada- O Ministério da Saúde prorrogou até o dia 14 de setembro a Campanha Nacional de Vacinação contra poliomielite e sarampo. Desta forma, os municípios que ainda estão abaixo da meta de vacinar, pelo menos 95% das crianças na faixa-etária da campanha, terão mais 12 dias para ofertar as duas vacinas na rede pública de saúde.