Amazonas tem alunos do SENAI na seletiva Worldskills

Alunos do SENAI Amazonas, Matheus Oliveira, 21 anos e Nadia Martins, 18, participam de seletiva para a maior competição de educação profissional do mundo, a Worldskills Kazan 2019, na Rússia. A dupla vai competir na ocupação de Mecatrônica nos dias 12 a 17 de agosto em Fortaleza (CE).

Em preparação desde julho, a dupla foi selecionada por meio de simulados e seletivas na fase escolar do SENAI Amazonas. Os dois escolhidos já realizaram em maio simulados no SENAI Bahia, em Salvador, com representantes do estado baiano e do Rio Grande do Sul.

“Pelos resultados até então alcançados, podemos afirmar que temos uma dupla muito forte, no entanto, no treinamento em si não se desenvolve só a técnica, o nosso principal desafio é desenvolver o emocional dos alunos”, disse o avaliador da ocupação mecatrônica do Amazonas, Marcos Alexandre.

Com o auxílio do expert do Brasil na ocupação, Ademir Bassanesi, a dupla está desenvolvendo sessões de coaching para driblar o emocional e melhorar o desempenho na reta final até a seletiva em agosto. “Nosso principal desafio é esse, pois precisamos desenvolvê-los em várias áreas ‘não técnicas’ que, querendo ou não, podem afetar no desempenho em prova”, destaca o avaliador.

Os competidores do SENAI Amazonas são ex-alunos dos cursos técnicos de Mecatrônica e Automação Industrial da Escola SENAI Antônio Simões (ESAS) e foram indicados por professores do curso para trabalhar na ocupação que reúne programação, automação e alta tecnologia em linhas de montagem.

“Os professores de Mecatrônica me mostraram como funcionava a competição e me deixaram curiosos em participar. Gosto da parte de programação, do CLP (Controle Lógico Programável), da complexidade e ao mesmo tempo da simplicidade que envolve e torna tudo isso fascinante”, disse o competidor do SENAI Amazonas em Mecatrônica, Matheus Oliveira.

Confiante para a seletiva junto à parceira de prova, Nadia Martins, Oliveira destaca como diferencial da dupla o conhecido técnico aprofundado em mecatrônica e automação, fruto dos cursos técnicos realizados por eles dentro do SENAI.

“Eu e o Matheus somos bons em problemas lógicos, o que percebemos ser um bom ponto em relação ao tipo de prova que costumamos fazer e que temos certeza ser o tipo de prova da seletiva. Para melhorar o nosso desempenho, atualmente estamos trabalhando a nossa velocidade durante a montagem de alguns quesitos da prova”, explicou Martins.

Os treinos são diários, cerca de oito horas por dia, nas atividades divididas entre treino físico e psicológico. Nesta reta final até a competição, o avaliador Marcos Alexandre está na expectativa de melhorar 10% do rendimento até agosto, dentro dos três simulados que serão aplicados até a competição.

“Minha expectativa é de muita competitividade, o potencial dos dois sem dúvida é para ganhar medalha, esperamos que dessa vez seja o ouro”, disse o avaliador, ao explicar que cada um tem sua atribuição dentro da prova, apesar de ambos terem conhecimento total do trabalho. “O Matheus fica responsável pela parte mecânica e a Nádia pelo Software, no entanto os dois precisam saber o trabalho um do outro para desenvolver o todo”.

A dupla amazonense vai disputar a seletiva com representantes do Ceará, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul.