Árvores do Centro Histórico de Manaus são monitoradas e recebem cuidados

Manaus 25.08.18. Semmas Faz Polda de arvores no centro Historico de Manaus; Foto Marinho Ramos Semcom.

As árvores do Centro Histórico de Manaus estão sendo monitoradas e submetidas pela Prefeitura de Manaus a procedimentos de manejo necessários para mantê-las equilibradas e em harmonia com os equipamentos urbanos. O trabalho, executado pelas secretarias municipais de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e Limpeza Pública (Semulsp), é realizado com regularidade semestral e visa a realização de podas de segurança, retirada de erva-de-passarinho e, em alguns casos, a supressão de indivíduos arbóreos com risco iminente de tombamento. Neste final de semana, a ação se concentrou na Praça Dom Pedro e ruas adjacentes, no Centro, onde foram realizados procedimentos em 20 árvores.

Foram podados sete paus-pretinhos, oito oitizeiros (um deles já bastante deteriorado na Rua Bernardo Ramos, com ameaça de queda), três mangueiras, um jambeiro e um oitizeiro na Rua Lobo D’almada. O engenheiro florestal Wellington Auzier, chefe da Divisão de Corte e Poda da Semmas, afirmou que no caso do oitizeiro da Bernardo Ramos, o peso da árvore vai ser reduzido e é encaminhado um relatório ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para informar sobre a situação.

Esta semana, foram feitas duas supressões de árvores no Centro: uma castanholeira seca, na frente do Museu do Porto, e um oitizeiro com podridão no tronco na Rua Ramos Ferreira. A estimativa é de que existam na região central da cidade aproximadamente 1,4 mil árvores, a grande maioria oitizeiro, todas com mais de meio século de vida.

Essas árvores precisam de um cuidado especial. Elas são monitoradas para verificar o estado das raízes, dos troncos, inclinação, extensão dos galhos, danos causados por acidentes, como batidas de veículos, que causam aberturas nos troncos para entrada de fungos, presença de cavidades, fissuras entre outros aspectos. O ambiente inóspito (muitas vezes são utilizadas como lixeiras e cabides com pregos e ferros fincados no tronco) levam a danos muitas das vezes irreversíveis.

No Centro de Manaus, há um cuidado redobrado com a questão do manejo. As árvores são patrimônio histórico da área e têm muito simbolismo envolvido. De acordo com a Divisão de Corte e Poda, são realizadas até três avaliações antes de se tomar uma decisão sobre a retirada ou não de um indivíduo arbóreo no local. A supressão é uma medida preventiva importante e baseada em avaliações técnicas. A queda de uma árvore num local desses pode se tornar uma tragédia.

A rede elétrica é outro fator preocupante. A Prefeitura de Manaus, por meio da Semmas, já deu início às tratativas junto às empresas terceirizadas da Eletrobras Amazonas Energia para reduzir o impacto da poda nessas árvores em virtude da rede elétrica, com introdução de novo tipo de cabeamento.