Assaltantes fazem a “limpa” e levam computadores e materiais de expediente da Defensoria Pública

Computadores e materiais de expediente foram levados da sede da Defensoria Pública do Estado (DPE-AM), Rua Maceió, Bairro Nossa Senhora das Graças, zona centro-sul, na madrugada desta segunda-feira. O órgão teve portões e portas de acesso arrombadas. Uma chave de fenda e uma camisa foram deixadas no local.

Esta é a terceira vez somente este ano que uma unidade da DPE foi assaltada. Os prejuízos chegam a mais de R$ 50 mil, segundo cálculos da diretoria administrativa da instituição.

Para o defensor público geral, Rafael Barbosa, os assaltos refletem o momento de instabilidade econômica e de insegurança porque passam o País e o Estado. “Com o desemprego em alta há aumento natural de infrações, o que lamento profundamente é que nem as instituições que servem ao povo sejam poupadas porque o prejuízo é duplo: material e muitas vezes porque se perdem documentos que estavam nos computadores e isso impacta nos processos e nas vidas das pessoas”.

Como forma de minimizar as perdas e danos, a DPE está em busca de uma sede que ofereça mais segurança. Hoje a instituição possui núcleos descentralizados.

A instituição também está no aguardo de aprovação de uma Casa Militar para que possa ter segurança como outras instituições estaduais.

“Temos consciência de nossa relevância perante a sociedade, estamos cumprindo nossas obrigações e temos direito, tal qual outras instituições, de ter nosso patrimônio e a vida dos nossos colaboradores resguardados. Nossa luta é para que isso aconteça o quanto antes, para que nossas perdas não sejam maiores, inclusive a vida de servidores e defensores”, disse Rafael.