Associação de magistrados repudia Adail Filho que denunciou promotor por perseguição política

A Associação Amazonense do Ministério Público – AAMP, entidade de classe
que representa Promotores e Procuradores de Justiça do Ministério Público do Estado do Amazonas, por meio desta nota, manifestou repúdio à ação de denúncia do prefeito de Coari contra um promotor de Justiça do Amazonas.

Adail Pinheiro Filho esteve na sede do Ministério Público do Amazonas, em Manaus, nesta terça-feira (26), para denunciar  o promotor Wesley Machado. Após ser alvo várias vezes de denúncias pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), o prefeito de Coari decidiu, em uma manobra ousada, protocolar uma denúncia contra o relator das ações, alegando perseguição política e formação de esquema para deflagrar um possível golpe contra o seu mandato.

Veja nota

“Em razão das graves afrontas e expressões caluniosas do Prefeito Municipal de Coari que, em evidente inversão de valores, busca atingir a honra e a dignidade do Promotor de Justiça Substituto, Weslei Machado, no nítido intuito de criar uma cortina de fumaça para esconder da sociedade as graves acusações de atos ilícitos e improbidades administrativas contra ele já ajuizadas no foro competente. É importante lembrar que Coari tem um histórico de criminalidade sistêmica praticada por agentes políticos que lamentavelmente, através do poder financeiro amealhado e subtraído ilicitamente do povo, ainda continuam impunes, gerando na população cada vez
mais o sentimento de impunidade e de descrédito com as instituições públicas”, diz parte da nota encaminhada à imprensa.

A associação ainda faz um alerta a população de Coari.

“A atuação independente e corajosa do Ministério Público no município de Coari tem contribuído para que esses sentimentos se dissipem e façam surgir luzes de esperança no seio da sociedade
Coariense. O fato de serem trazidas a público as improbidades e os fortes indícios de crimes praticados pela atual gestão de Coari, aumentando o conhecimento da sociedade civil
dos atos ilícitos perpetrados pelos administradores já denunciados, fez gerar os ataques sórdidos desferidos contra a pessoa do Promotor de Justiça como
subterfúgio por não conseguir se defender dos fatos. Tais práticas, típicas de quem pratica atos de corrupção, possuem o claro objetivo da intimidação dos agentes públicos que se dedicam a combater o bom combate e lutar pelo bem da sociedade e pelo fim da corrupção.
Ledo engano dos que pensam intimidar os membros do Ministério Publico.
Não conseguirão. A responsabilidade que temos com a sociedade não nos permite
intimidações. O representante do Ministério Público, titular da 1ª Promotoria de Justiça de Coari/AM, em todas as ações propostas contra o Sr. Adail José Figueiredo Pinheiro, agiu no exercício de suas funções institucionais e, com base em elementos probatórios documentais e
testemunhais, fundamentou as razões de sua atuação”, finaliza.

Compartilhe