Até sexta inquérito sobre atentado a Bolsonaro deve ser entregue

Brasília - A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã de hoje (25) a 6ª fase da Operação Zelotes. Os policiais estão nas ruas para cumprir 20 mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada à delegacia para prestar depoimento e, em seguida, é liberada; e 18 de busca e apreensão, além de duas oitivas autorizadas judicialmente no Complexo da Papuda, em Brasília. (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

A Polícia Federal (PF) acaba de anunciar que deve cumprir o prazo de 15 dias para fechar o primeiro relatório sobre o atentado contra o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), ocorrido no dia 6, durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG). No entanto, é possível que um segundo inquérito seja aberto para investigar qualquer possibilidade de coautoria do crime. As informações foram dadas pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungman.

O agressor Adélio Bispo (preso), confessou a autoria do crime e disse que deu uma facada em Bolsonaro por motivos políticos e religiosos. Durante a entrevista de custódia, ele chamou o atentado de “incidente” e afirmou que se sente “literalmente ameaçado” pelos discursos do candidato. As informações são do Minuto ao Minuto

A segunda linha de investigação da PF investiga as possíveis conexões e operações financeiras do agressor. Embora os investigadores ainda não tenham respostas, fontes internas disseram ao ‘Jornal Nacional’ que a única coisa que dá para dizer com segurança, até o momento, é que não há indício concreto da participação de terceiros no atentado.