Bolsonaro critica Raquel Dodge e “cutuca” Jean Wyllys durante entrevista

Jair Bolsonaro criticou a procuradora Geral da República, Raquel Dodge, e voltou a “cutucar” o seu desafeto, o deputado federal Jean Wyllys, do PSOL, durante entrevista coletiva, nesta quinta-feira (28).

O pré-candidato do PSL à Presidência da República esteve em Fortaleza, onde participou de encontros com apoiadores e empresários cearenses.

Durante entrevista coletiva, Bolsonaro criticou a posição da procuradora-geral da República que não foi a favor da implantação do voto impresso nas eleições deste ano. Bolsonaro questionou a posição da chefe da PGR dizendo não saber o que ela teria na cabeça para não apoiar o voto impresso.

“A senhora Raquel Dodge, chefe do MP, ela pediu o fim do voto secreto (impresso), com argumento de que a impressão do voto compromete a lisura e a segurança das eleições. Eu não sei o que tem na cabeça dela ou do aspone dela que escreveu isso aí. Eu acho que pior do que o fim do voto impresso não existe”.

Em outra parte da entrevista, Bolsonaro tornou a se colocar contra que as escolas discutem questões de gêneros em sala de aula. Além disso, o pré-candidato do PSL afirmou que as uniões homoafetivas devem ser manifestadas apenas no íntimo dos lares.

Bolsonaro aproveitou ainda para “cutucar” o seu desafeto, o deputado Federal Jean Wyllys, do PSOL fluminense, defensor das causas LGBTI+ no Congresso Nacional.

“A minha bronca, a minha briga, e vai continuar sendo, foi o material escolar. Nós somos pais, mães, a gente não quer encontrar um filho nosso em casa, ou neto, brincando de boneca por influência da escola. Ninguém é contra dois homens, duas mulheres de viverem em seus apartamentos, suas casas, suas fazendas e ser felizes. Ninguém é contra a isso não. Agora, se o cara quer se casar é outra história. Manda o Jean Wyllys apresentar uma proposta de Emenda a Constituição, se for aprovada, o casamento entre pares, todo mundo será obrigado a aceitar a partir daí”.

Bolsonaro tentou dar clima de descontração ao assunto e brincou com os jornalistas presentes, perguntando se teria entre eles alguém interessado em se casar com o pré-candidato.

“Do casamento gay, o pessoal ficou empolgado agora aí. Alguém quer casar comigo aí?”.

De acordo com pesquisa CNI/IBOPE, publicada nesta quinta-feira (28), Jair Bolsonaro e Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, disputariam o segundo turno das eleições. Se o pleito fosse realizado hoje, Bolsonaro teria 17% da preferência do eleitorado e Marina 13%. Ciro Gomes, do PDT, aparece em terceiro lugar, com 8%.

Este cenário não conta com o nome do ex-presidente Lula e o formato é o estimulado, ou seja, quando é apresentada ao entrevistado uma lista com os nomes dos pré-candidatos.

Reportagem, Cristiano Carlos

#Eleições2018