Borracheiro é preso por matar a ex-companheira no bairro Colônia Terra Nova

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) prendeu, por meio de mandado de prisão preventiva por feminicídio, o borracheiro Mark Amorim Simões, 35, conhecido como “Quito”, autor da morte da ex-companheira dele, Marli Correia da Silva. A vítima tinha 36 anos. As informações são do delegado Jeff David Mac Donald.

Conforme Mac Donald, o crime aconteceu na noite do dia 11 de julho deste ano, por volta das 22h, em uma casa situada na rua das Pedreiras, bairro Colônia Terra Nova, zona norte da capital. Na ocasião, o infrator chegou à residência sob efeito de substância ilícita e iniciou uma discussão com a vítima, após ela pedir que ele saísse do local.

Ao longo da coletiva, a autoridade policial informou que o crime foi presenciado pelos cinco filhos do ex-casal, dois adolescentes de 12 e 15 anos, além de três crianças, de três, quatro e dez anos. ”A vítima e os filhos estavam no quarto quando “Quito” foi até a cozinha, pegou uma faca e desferiu um golpe nas costas da mulher. Marli ainda reagiu, então ele a golpeou na barriga. Após o ato criminoso, o infrator empreendeu fuga do local”, disse.

Durante as investigações, testemunhas informaram que a mulher chegou a se fingir de morta para, posteriormente, pedir ajuda. Ela foi socorrida por populares e levada a uma unidade de Serviço de Pronto Atendimento (SPA) na zona norte da capital, onde acabou vindo a óbito em decorrência de complicações ocasionadas pelos ferimentos.

“No decorrer das diligências, representei à Justiça o pedido de prisão preventiva em nome do infrator, que foi preso na manhã de ontem (3/9), por volta das 6h, após denúncias anônimas de que ele estaria vivendo como morador de rua nas proximidades da delegacia. O mandado de prisão preventiva por feminicídio foi expedido no dia 14 de julho deste ano, pelo juiz George Hamilton Lins Barroso, no Plantão Criminal”, declarou Mac Donald.

Em depoimento na especializada, Mark informou que manteve um relacionamento durante 17 anos com a vítima, mas que, por terem uma relação conturbada, os dois não moravam mais juntos. “Quito” alegou que a vítima já havia solicitado à Justiça para que ele se afastasse dela, porém o homem não aceitava o término da relação.

Reincidente – Mark argumentou, ainda, que o crime foi motivado por ciúmes. Ele confessou, também, que em 2000 também já tinha matado uma outra companheira, então com 17 anos. Na época ele chegou a preso em flagrante pelo crime, mas foi colocado em liberdade após três meses em regime semiaberto.

Indiciado – O infrator foi indiciado por feminicídio. Ao término dos procedimentos cabíveis na delegacia, o homem será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

FOTO: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas.