Campanha de vacinação contra febre aftosa no Amazonas chega à última semana

A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa chega à última semana no Amazonas. O prazo final para imunizar bovinos e bubalinos, de até 24 meses, encerra nesta sexta-feira (31/08), em 41 municípios, alerta a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror).

Municípios envolvidos- Os municípios que participam da segunda etapa da campanha “Amazonas sem Febre Aftosa” são: Alvarães, Amaturá, Anamã, Anori, Atalaia do Norte, Autazes, Barreirinha, Benjamin Constant, Beruri, Boa Vista do Ramos, Borba, Caapiranga, Careiro, Careiro da Várzea, Coari, Codajás, Fonte Boa, Iranduba, Itacoatiara, Itapiranga, Japurá, Jutaí, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Maraã, Maués, Nhamundá, Nova Olinda do Norte, Parintins, Rio Preto da Eva, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, São Sebastião do Uatumã, Silves, Tabatinga, Tefé, Tonantins, Uarini, Urucará e Urucurituba.

De acordo com o diretor-presidente da Adaf, Sérgio Muniz, para esta etapa da campanha, o órgão estadual de defesa espera alcançar um índice satisfatório e aceitável para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e, faz uma alerta aos médicos veterinários que atuam nas Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal (Ulsav), da Adaf, no interior, para que avaliem o índice vacinal do seu respectivo município e reforcem as ações durante esta última semana de campanha, para evitar o número alto de produtores rurais inadimplentes. “Estamos intensificando as ações nos 41 municípios, por que essa é a última etapa da campanha nos municípios citados. O que nós não queremos é utilizar o que a lei preconiza, ou seja, aquele produtor que não vacinar o rebanho no prazo estipulado, estará passivo à multa. A orientação da Adaf é que a gente busque esse produtor na hora certa e na data certa para que ele não tenha problemas em realizar a sua parte, que é fazer a vacinação”, reforçou, Muniz.

Sérgio Muniz explica que, quem não vacina e não notifica está passível a penalidades como a multa. Não pode retirar Guia de Trânsito Animal (GTA) – documento obrigatório para o trânsito de animal dentro e fora do Estado -, não pode participar de eventos pecuários e tão pouco transportar os animais para comercialização.

No Amazonas, a multa é de R$ 40 por cabeça de gado não imunizado além de mais R$ 300 por propriedade e pagamento dos custos de deslocamento para Adaf realizar a vacinação, de acordo com a Lei nº 2.923, de 27/10/2004, e Decreto nº 25.583, de 28/12/2005.

Vendas da vacina- As vacinas estão disponíveis para venda, nas casas agropecuárias, credenciadas pela Adaf e nos escritórios do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal do Amazonas (Idam). O preço médio da dose de vacina oscila entre R$ 1,80 e R$ 2,20.

FOTO: DIVULGAÇÃO/ADAF