Com plano de governo otimista, Álvaro Dias diz que não vai “mexer no bolso dos aposentados e dos trabalhadores”

O candidato do Podemos à presidência da República, Álvaro Dias, ressaltou, nesta segunda-feira (10), que seu plano de governo é otimista e possível. Dentre as promessas do presidenciável está zerar as dívidas do país ainda no primeiro ano de mandato e isentar parte da população de pagar o imposto de renda.

Em sabatina realizada pelo UOL em parceria com a Folha de São Paulo e o SBT, Álvaro Dias ressaltou ser possível não alterar a renda dos aposentados e dos trabalhadores acabando com as desonerações fiscais já no primeiro ano de governo, tirando do “bolso dos ricos”.

O presidenciável afirmou que quer isentar do imposto de renda os brasileiros que recebem até R$5 mil. Disse ainda que vai reformular a política do salário mínimo. Segundo ele, o valor mínimo a ser pago aos trabalhadores deve ser determinado de acordo com a produção do país sem interferência de outras despesas do governo.

“O Produto Interno Bruto determinará o crescimento da economia, determinará a elevação do salário. Nós vamos estabelecer vínculos, parâmetros para o reajuste com a produção, com a produtividade do país. E vamos descolar do salário mínimo as outras despesas de governo que são vinculadas ao salário mínimo e, muitas vezes, não é reajustado porque o reajuste promoverá em cascata uma despesa enorme para o poder público”.

Em relação à reforma da previdência, o candidato defendeu um sistema de contribuições individuais. Assim, cada cidadão receberia, no momento da aposentadoria, o valor referente ao tanto que depositou em conta própria. Para ele, “hoje contribuímos para todos, mas alguns ganham mais do que outros”.

Como proposta para combate a homicídios e assaltos, Álvaro Dias defendeu que o crime será eliminado no momento em que acabar o tráfico de drogas. Ele propôs a criação de políticas de segurança pública nas fronteiras e uma frente latina americana contra a produção de drogas. Em seu projeto de governo, o candidato do Podemos afirma que, em quatro anos, vai diminuir 60% da violência no país.

Álvaro alegou, também, ser a favor da redução da maioridade penal para 16 anos. Apresentou a necessidade de mudança nas penitenciárias para humanizar o sistema e separar pequenos infratores de grandes criminosos na cadeia. Ele disse ainda ser contra a liberação do porte de armas fora das áreas rurais, mas alegou que quer flexibilizar a política já existente para aqueles que querem comprar cumprirem requisitos e terem a posse.

Com discursos contra privilégios dos políticos, o presidenciável declarou que recebeu R$ 3 milhões do partido para utilizar na campanha ao Planalto. Segundo ele, o valor será usado apenas com um avião para cumprimento de agenda pelo país e com o programa eleitoral no rádio e na televisão.

Reportagem, Clara Sasse