Confira 5 mitos e verdades sobre a boa e velha cerveja

O Dia da Cerveja é comemorado em mais de 50 países, sempre na primeira sexta-feira (3) do mês de agosto. A data foi criada em 2007, mas a primeira cerveja do mundo surgiu há mais de 11 mil anos, na região onde hoje fica o Irã e o Iraque.

O nome “cerveja” vem da deusa grega Ceres, conhecida como a deusa da fertilidade e da agricultura, explica Leon Maas, mestre-cervejeiro da Cervejaria Ambev: “Ela é a bebida mais variada que existe quando o assunto é sabor. O amargor, que geralmente vem do lúpulo, é imperceptível em alguns estilos. Tem as doces, ácidas e até ligeiramente salgadas.”

Existem, basicamente, quatro escolas de cerveja: a alemã, a belga, a britânica e a americana. A American Lager, mais leve, é a mais consumida no mundo. No Brasil, o estilo é chamado de Pilsen.

No Egito Antigo, os trabalhadores que ergueram as grandes pirâmides eram pagos com cerveja. Sua ração diária era de cinco litros, entretanto, era muito menos alcoólica do que a moderna.

Na Idade Média, ela manteve o status de alimento. Um dos poucos alimentos seguros naquela época, pois era fabricada com higiene pelos monges católicos. Na liturgia da Igreja, aliás, a bebida foi incorporada como substituta das comidas sólidas nos períodos de jejum dos clérigos.

Veja algumas curiosidades:

– A melhor cerveja é sempre aquela mais fresca.

– A cerveja de garrafa tem a rotatividade maior do que a de latinha.

– A diferença entre cerveja e chopp nada tem a ver com a garrafa e o barril.

– A cerveja é pasteurizada para resistir vários meses, enquanto o chope não passa por esse processo, que causa pequenas alterações no sabor ­.

– Altamente perecível, deve ser consumido muito fresco e mantido sob refrigeração.

Confira alguns mitos e verdades:

1. O sol estraga a cerveja

Verdade. A exposição à luz prejudica a qualidade da bebida. O vidro marrom oferece alguma proteção contra os raios, mas não funciona 100%. De qualquer maneira, guarde a cerveja em lugar escuro e fresco.

2. Gelar muito a cerveja destrói o sabor

Mito. Quanto mais forte e encorpada a cerveja, menos fria ela deve estar. Por ser leve e delicada, a pilsen merece ser servida gelada. O brasileiro costuma beber cerveja no limite do congelamento, e não há nada errado nisso. Mas congelar nunca!

3. Cerveja puro malte é melhor

Mito. A lista de ingredientes da cerveja depende do estilo e do perfil sensorial que o mestre-cervejeiro quer obter.

4. Quanto mais escura, mais forte é a cerveja

Mito. A cor marrom ou preta realmente causa a expectativa de uma bebida mais forte ou densa, mas isso não acontece. A tonalidade da cerveja depende da matéria-prima. Maltes de trigo são quase brancos, malte de cevada tipo pilsen dá um tom amarelo, e as variedades tostadas e carameladas completam a paleta com líquidos que vão do avermelhado ao negro intenso.

5. O colarinho protege a bebida

Verdade. A camada de espuma não deixa que a cerveja tenha contato direto com o ar, Isso reduz a oxidação e a perda de gás. Com informações da Folhapress e do Minuto ao Minuto.