De volta a Itapeaçu, Amazonino diz que comunidade voltará a ser modelo autossustentável

Depois de passar pela sede do município de Urucuritiba (a 208 quilômetros de Manaus), o candidato da coligação “Eu voto no Amazonas”, Amazonino Mendes (PDT), voltou ao Distrito de Itapeaçu, comunidade rural que foi urbanizada por ele quando foi governador na década de 1990.

Emocionado, Amazonino lamentou a interrupção do projeto de tonar Itapeaçu autossustentável, com o setor primário pujante e com “cara de município”.

“Todos vocês sabem que um dia sonhei com um modelo de comunidade autossustentável para todo o Amazonas. Eu chamava Itapeaçu de Vila da Felicidade. Para cá, nós trouxemos escola, hospital, energia elétrica, programas para o setor primário, utbamizamos ruas e abrimos estradas. Mas isso tudo foi deixado para trás pelos outros governos”, lamentou o candidato.

Amazonino disse aos moradores que sonha em ver a comunidade se autossustentar com a produção do açaí, limão e banana, e avisou aos urucuritubenses que após as eleições o Governo do Estado dará seguimento ao programa Terra Produtiva com o fornecimento de implementos agrícolas.

“Eu amo Itapeaçu, lugar de gente amável e feliz, mas que precisa da mão amiga do poder público para se desenvolver. Por isso, após as eleições nós vamos fomentar o setor primário para o bem de Itapeaçu”, declarou o candidato, informando que a comunidade receberá apoio na infraestrutura, saúde, segurança e educação.

Ao comentar a gestão de 11 meses do governador Amazonino Mendes, o agricultor Antônio Gama, 70, falou sobre o avanço da cidade, após Amazonino assumir o Governo do Estado. “Nasci em Itapeaçu e tudo que nós temos foi o governador Amazonino que trouxe para cá. Estradas, colégios, uma creche. A saúde aqui era ótima, tinha remédios, médicos. O tempo passou e tudo foi abandonado. Graças a Deus ele voltou para o nosso bem”, disse o morador de Urucurituba.

Amazonino visitou ainda as comunidades de Terra Preta do Limão e Limaozinho, conversou com moradores e depois almoçou na beira do Paraná do Ramos.

Foto: Clóvis Miranda
Texto – assessoria