Desastres em Saúde é tema de seminário nesta quinta-feira (21/06)

A redução do risco de desastres é uma das funções essenciais da saúde pública. Para abordar esse tema, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), realiza, nesta quinta-feira (21/06), o “1º Seminário Estadual de Saúde em Desastres”. O evento será a partir das 8h, no auditório da instituição, situado na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio.

O seminário conta com a participação da representante do Comitê Geral de Vigilância em Saúde Ambiental do Ministério da Saúde (MS), Eliane Lima e Silva. Na ocasião, ela discorrerá sobre Emergência em Saúde Pública por desastres, no Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com o diretor presidente da FVS-AM, Bernardino Albuquerque, o seminário é o espaço para discutir o processo de planejamento, a inserção de ações para a prevenção, mitigação, preparação, resposta e reabilitação, visando reduzir o impacto dos desastres, sobre a saúde pública.

“No âmbito da saúde, a atuação em situações de desastres deve ter um enfoque integral, com relação aos danos e a sua origem, além do envolvimento de todo o sistema de saúde, e do estabelecimento de um processo de colaboração intersetorial e interinstitucional voltado para a redução dos impactos de emergências ou desastres, sejam eles de origem natural ou tecnológica”, disse.

Parceiros – O coordenador do Comitê Interno de Vigilância em Saúde para Desastres da FVS, Renato Souza, afirma que o evento reunirá diferentes parceiros que atuam diretamente com desastres naturais, que, no Amazonas, podem ocorrer no período das cheias e nas vazantes.

“O seminário é voltado para profissionais de vigilância em saúde e de áreas afins, abordando a gestão de risco em desastres, com o principal objetivo fortalecer a capacidade de resposta frente a situações de urgência e emergência que poderão ocorrer nas comunidades afetadas pelas cheias e vazantes dos rios no Estado”, esclareceu.

Participam 100 profissionais oriundos de secretarias e órgãos governamentais de várias esferas, como da Defesa Civil, da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc), do Ministério da Saúde, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Universidade de Estado do Amazonas (UEA).

Programa Nacional – Segundo Renato Souza, as ações locais seguem o programa nacional – o Vigidesastres – do Ministério da saúde. O objetivo é desenvolver um conjunto de ações a serem adotadas continuamente pelas autoridades de saúde pública, para reduzir o risco da exposição da população e dos profissionais de saúde. Além disso, reduzir doenças e agravos decorrentes deles, bem como os danos à infraestrutura de saúde.

Renato destaca que os desastres, principalmente os de tipologia natural, são recorrentes no Amazonas e causam impactos socioeconômicos e de saúde na população atingida.