Dicas para escolher as raças ideais para crianças, idosos e atletas

Perfil do tutor, tempo disponível e condições financeiras são fatores importantes na hora de escolher a raça do pet

Ao escolher um pet para fazer parte da família – sim, eles serão parte dela, afinal passarão cerca de 15 anos com seus tutores – alguns cuidados são necessários. O perfil do futuro tutor, o local onde o animal passará a morar, a disponibilidade para zelar por suas necessidades e as condições financeiras são fatores que influenciam na hora de escolher a raça do novo membro. Crianças, idosos e atletas, por exemplo, devem tomar algumas precauções na hora da adoção, explica Jorge Morais, veterinário e fundador da rede Animal Place.

Para as crianças é preciso levar em consideração a faixa etária e o sexo. Os bebês podem conviver com pets e são aconselháveis cães de comportamento menos ativo, evitando as raças de grande porte. Para as meninas, o veterinário sugere fêmeas para evitar alguns inconvenientes. Os cães mais ativos, que gostam de brincar e demandam mais energia são indicados para crianças acima de cinco anos. Nesse caso, ele recomenda o Labrador, Golden, Boxer, Weimaraner, Beagle e Dachshund.

Assim como as crianças, idosos devem optar por raças menos agitadas e de pequeno porte. Assim evitam estresse e acidentes. Os pets mais indicados são o Shih Tzu, Lhasa Apso, Yorkshire, Pequinês, Maltês e Poodle. Os atletas, por sua vez, devem se atentar para a rotina que mantém, de acordo com o tipo de esporte que pratica, pois os animais possuem características peculiares. Raças ativas, que disponham de bastante energia para acompanhar seu tutor são as ideais. Os lutadores, de maneira geral, lembra o veterinário, tem preferência por Pit Bull, Staffordshire, Bull Terrier e Boxer. Já aqueles que optam pela corrida, podem ter como companheiros os Galgos Whippet.

“E não tem como não falar do nosso bom e velho “vira lata” ou, como alguns preferem, SRD (Sem Raça Definida). Eles devem ser adotados seguindo os mesmos critérios dos pets de raça e servem aos mais diversos propósitos. Isso porque eles têm a miscelânea de características e todos os tamanhos e temperamentos possíveis, bastando ao tutor escolher o que melhor se adequa a seu perfil. Eles são ótimas companhias”, afirma o veterinário.

Os pets também estão sendo muito utilizados em terapias com pacientes especiais, lembra dr. Jorge. “Nesses casos, é recomendável os critérios utilizados para crianças e idosos, levando em consideração igualmente a identificação do tutor com o novo companheiro. Tem que existir uma interação entre eles, pois isso será definitivo para ultrapassar qualquer dificuldade”, complementa.

Para os tutores que preferem os felinos ou tem espaço na família para cães e gatos, o veterinário explica que eles têm uma boa adaptação a todos pelo fato de serem menos dependentes. O comportamento tranquilo e os hábitos de higiene peculiares facilitam o dia a dia do tutor, demandando menos cuidados. “Eu sugiro avaliar a forma prática, se a pessoa que vai adotar o animal é idosa ou criança, por exemplo, é bom que se evite os que possuem pelagem muito grandes. Isso porque eles exigem mais trabalho e também gastos”.

Sobre Animal Place

Criada em 1997 pelo veterinário Jorge Morais, a Animal Place é focada em cuidados para animais de estimação. A rede de franquias oferece a integração de serviços de hospital veterinário, centro estético, loja e franquias, com soluções criativas e atraentes para os clientes. Todas as lojas disponibilizam espaços exclusivos para felinos e filhotes, em que os profissionais têm controle de ruídos, stress e baixo risco de contaminação. Mais informações: www.animalplace.com.br