Dor e desconforto na relação não é natural e pode ser evitada!

Todas as mulheres em algum momento da vida irão experimentar algum desconforto durante a relação sexual, e cerca de 50% irão relatar como queixa frequente e necessidade de tratamento.

Os desconfortos podem surgir em intensidade sfraca a forte e com sensação de ardência, estiramento, lixa, rasgão, cólica e queimação, de forma localizada ou generalizada no canal vaginal ou externamente.

No meio de tantas sensações, você deve estar se perguntando, afinal, quando devo me preocupar com minhas queixas e aonde procurar ajuda. Confira as dicas a seguir e melhore sua vida sexual:

Dor no fundo do canal vaginal, e que fica evidente em posições com penetração profunda, pode ser falta de excitação completa ou o parceiro ter pênis muito avantajado. O canal vaginal possui cerca de 10 cm de comprimento quando não estamos no clima e cerca de 15 cm em excitação completa. O cutucar no fundo uterino pode causar cólica nestas condições.
Se você sente como se estivesse passando uma lixa no seu canal vaginal, e o vai e vem te incomoda, a baixa lubrificação pode ser a culpada. Inclua na relação um gel lubrificante e sinta se ocorre alguma melhora!
Quando a sensação é de estiramento e rasgão esta faltando alongamento das paredes vaginais. Isso pode ficar evidente na menopausa ou quando não curtimos o sexo e a musculatura vaginal fica contraída.
Dor e ardência desde a primeira relação sexual mostra dificuldade de relaxamento na musculatura intima, e toda vez que a mulher for introduzir um absorvente interno, realizar um exame ginecológico ou ter relação a dor fica tão evidente que em muitas vezes a penetração se torna impossível, e isso é mais frequente do que você imagina e se chama vaginismo.
Dor e queimação após um período de vida sexual normal pode indicar infecção e inflamação. Fique atenda ao surgimento de outros sintomas como corrimento, mau cheiro, ardência ao urinar e feridas.
Rasgão e ardência são sintomas frequentes no pós parto normal e cesárea. Normalmente está relacionado a aderências, cicatrizes e uma musculatura sobrecarregada pela gestação.
Clitóris, pequenos lábios e vulva podem sim sofrer desconforto ao toque ou pressão da roupa e masturbação. Fique atenta caso as queixa não passa em poucos dias e reavalie hábitos como por exemplo andar de bicicleta, esportes de impacto ou com o uso de vibradores.

São diversos os sintomas relatados, e no meio de tantas queixas ficamos na dúvida de qual profissional procurar. Além disso, muitas mulheres ficam envergonhadas de relatar que sua vida sexual anda ruim e a dor é uma queixa frequente, mas para garantir sua saúde íntima é indispensável que você avalie com profissional habilitado. Inicialmente avaliamos com o Médico Ginecologista para correta avaliação dos sintomas. Peça sempre exame completo de todas Dsts mesmo que você tenha parceiro fixo, grande parte das mulheres infectadas estão em relacionamento estável.

Caso seus exames estejam ótimos existem outros profissionais que podem te ajudar a garantir qualidade de vida sexual.

O psicólogo ou sexólogo deve ser procurado caso haja dificuldades com sua sexualidade. Se sua instrução sexual foi deficiente esta na hora de reconstruir sua sexualidade. Traumas psicológicos devem ser superados e deixados no passado para viver plenamente a sexualidade.
A Fisioterapia Pélvica devolve flexibilidade e relaxamento da musculatura íntima. Muitas vezes a tensão bloqueia a excitação completa e somente após reabilitar esta região é que passamos a ter relação sem desconforto. O alongamento gradativo ajuda a dessensibilizar a região intima e reduz drasticamente as queixas dolorosas além da mulher criar autoconfiança e conhecimento do seu corpo.
Terapeuta Tântrico é um grande aliado na conexão mente corpo. Procure sempre um profissional que trate com seriedade a sexualidade. As sessões incluem relaxamento, massagem e descoberta de pontos de prazer em todo o corpo.

Converse com seu parceiro sobre suas queixas, não esconda nada. Tente incluir mais preliminar antes da penetração, lembrando que preliminar não é ir direto para a vagina, mas sim descobrir outras áreas que possam causar prazer. Deixe se envolver por uma massagem, um banho juntos, uma jantinha especial, música e quem sabe um gelzinho gostoso para sexo oral. Não tenha vergonha de incluir na sua relação gel lubrificante. Muitas queixas são relacionadas a falta de deslize necessário.

E lembre, não deixe de procurar profissionais capacitados e nunca use medicamentos sem indicação médica. Tratamentos sem orientação podem sim piorar suas queixas.

Ana Cristina Gehring é Fisioterapeuta Pélvica especializada em disfunções sexuais femininas e na promoção de saúde íntima atuante em Porto Alegre. É blogger do instagram @vaginasemneura que reune mais de 104 mil mulheres. Palestrante de saúde íntima e sexualidade e idealizadora de diversos produtos sensuais voltados a melhora da vida sexual da mulher.