Escolas reúnem-se nesta terça-feira para discutir o referencial curricular amazonense

Com o objetivo de contribuir para a redação do referencial curricular amazonense, documento que irá nortear as instituições públicas e privadas do Estado na implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), escolas associadas ao Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas (Sinepe-AM), reúnem-se nesta terça-feira (21). Intitulado “Construção da BNCC Amazonas: a União para o Avanço da Educação”, o evento acontece das 8h às 17, no auditório da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas (Seduc-AM).

Desde o início das discussões da BNCC, a categoria tem feito contribuições para o documento. O sindicato, inclusive, criou uma comissão para ajudar as instituições de ensino privado a revisarem e a elaborarem os currículos. “A BNCC pode ajudar a diminuir as desigualdades educacionais e a melhorar a qualidade da Educação do país. Então a elaboração do currículo é um passo essencial para que a BNCC se torne realidade nas escolas de todo o Amazonas”, destacou a presidente do Sinepe-AM, Elaine Saldanha.

A primeira versão do referencial curricular atualmente está disponível para consulta pública até o dia 9 de setembro no sitehttp://basenacionalcomum.mec.gov.br/consultapublica/. E a ideia é que professores, gestores e a comunidade escolar possam enviar sugestões para deixar os currículos com a cara do Amazonas, atendendo às expectativas e necessidades específicas de cada rede, e incorporando a diversidade dos municípios ao documento.

A expectativa é que até o dia 20 de novembro o referencial curricular seja aprovado pelo Conselho Estadual de Educação (CEE). No próximo ano, a meta é iniciar o trabalho de capacitação contínua de todos os professores, tanto de escolas públicas quanto privadas, além da adequação dos materiais didáticos, e repensar os métodos de avaliação.

Homologada no final de 2017, a Base Nacional Comum Curricular define o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da educação infantil e do ensino fundamental. Também estabelece o que se espera que todos os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica.