Ex-mulher de prefeito e taxista são indiciados por usar perfis falsos para atacar empresários e políticos em Parintins

Duas pessoas foram indiciadas e outras quatro arroladas em inquérito da Polícia Civil que investiga a utilização de páginas com perfis falsos em uma rede social. As fakes se chamam “Tainá Xavier Melo” e “Carlito Gonçalves”. De acordo com as investigações, durante meses, os perfis caluniaram, difamaram e denegriram a imagem de empresários e políticos de Parintins e de outras localidades do Baixo Amazonas. As informações são do site Parintins Amazonas.

De acordo com o relatório da Polícia Civil, assinado pelo delegado Gesson Eliésio Aguiar de Souza, titular da Delegacia Interativa Cibernética, foram indiciados como autores do crime a pedagoga, Cleumara Monte Verde Bentes, ex-esposa do ex-prefeito e ex-deputado estadual, Enéas Gonçalves, e o taxista, Válber dos Santos Costa. São acusados participação, Claudete dos Santos Costa, Vera Lúcia Maria da Silva, José Ailton Miranda e Maria Poliana da Costa Ribeiro.

O delegado, segundo o site Parintins Amazonas, identificou os suspeitos por meio dos URLs (endereço de rede de internet) dos perfis utilizados pelos autores. A quebra de Sigilo de Dados Telemáticos foi requerida para verificar a registro do IP, data, hora e fuso. “A resposta enviada foi o que permitiu a identificação dos nacionais citados”, escreve o delegado Gesson no relatório.

Entre as pessoas que ingressaram na justiça pedindo investigação, estão a vereadora Vanessa Gonçalves (PROS), o advogado e ex-diretor da UEA Parintins, David Xavier e o ex-presidente do Boi Garantido, Adelson Albuquerque.

David Xavier, à época da denúncia, ofereceu de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) de recompensa para quem mandasse informações que levassem aos criminosos.

Cleumara e Válber foram indiciados nos artigos 139, 140 e 307 do Código Penal Brasil que trata de injúria, calúnia, difamação, falsidade ideológica e falsa identidade.

A reportagem do site Parintins Amazonas manteve contato com Cleumara Monte Verde, que disse, via mensagem de WhatsApp, que só vai se pronunciar em juízo.

Com informações do site Parintins Amazonas