FCecon discute parceria com Sobope e Instituto Ronald McDonald para fortalecimento da rede de atenção à criança com câncer

A direção da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), recebeu nesta segunda-feira (10/09) representantes da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (Sobope) e do Instituto Ronald McDonald. A reunião foi para tratar de parceria para o fortalecimento da rede de atenção às crianças com câncer e o combate ao câncer infanto-juvenil.

A diretora-presidente da FCecon, engenheira biomédica Ana Paula Lemes, destacou a importância de parcerias e projetos neste sentido. “A FCecon tem buscado melhorias no atendimento oncológico infanto-juvenil. Para nós, é uma honra ter a oportunidade de trabalhar em projetos e ações que busquem avanços nesta área”, afirmou.

A presidente da Sobope, Teresa Cristina Cardoso Fonseca, e a coordenadora de programas e projetos do Instituto Ronald McDonald, Carla Littieri, conheceram a estrutura da unidade da FCecon, que é referência na região Norte no tratamento ao câncer. Acompanhados pelas médicas responsáveis pelos serviços de enfermaria infantil, Jeane Lee, e de urgência, Daniele Gomes, elas visitaram vários setores da fundação.

Cooperação – Conforme a presidente da Sobope, a visita ao Amazonas surgiu da necessidade de se identificar as formas de assistência e de cooperação no tratamento ao câncer infanto-juvenil no País. Os índices de mortalidade no país são ainda elevados, quando comparados com outros países da América Latina. “Durante as reuniões com gestores, sociedade civil organizada e profissionais de saúde, verificamos os avanços e onde é possível atuar. Pretendemos elaborar um plano em conjunto, visando a otimização do atendimento, sempre com foco em aumentar as chances de cura do câncer infanto-juvenil”, explicou Teresa Fonseca.

Na região Norte, de acordo com Teresa Fonseca, os dois estados que prestam atendimento especializado em câncer infanto-juvenil são Amazonas e Pará. “Estamos juntos nesse projeto com o Instituto Ronald McDonald e queremos envolver também outros órgãos nessa rede estadual”, enfatizou.

A formação de novas parcerias para assistência à criança com câncer, segundo a coordenadora de programas e projetos do Instituto Ronald McDonald, Carla Littieri, ajudará a articular soluções para as questões que precisem ser solucionadas. “O objetivo é melhorar o atendimento às crianças e aos adolescentes com câncer, além de ampliar o diagnóstico precoce. Um hospital não consegue fazer tudo isso sozinho, por isso, a importância das parcerias. Dessa forma, conseguiremos aumentar a porcentagem de cura do câncer infanto-juvenil, que é de 64% no país. Queremos que todos os estados brasileiros atinjam as chances máximas de cura, que em países desenvolvidos é de 85%”, pontuou Carla Littieri.

FOTO: DIVULGAÇÃO/SUSAM