Fiscais realizam vistoria técnica e constatam vazamento de óleo no porto Ceasa em Manaus

Uma equipe de dez fiscais do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) realizou, nesta terça-feira (28/08), uma vistoria técnica na orla do porto Ceasa, no bairro Mauazinho, zona Leste de Manaus, local onde aconteceu nesta segunda-feira (27/08) o naufrágio de uma embarcação tipo empurrador da empresa Chibatão e causou o vazamento de óleo diesel da embarcação para o rio Negro.

O trabalho foi acompanhado pelo gerente de Fiscalização Ambiental do órgão (Gefa), Abner Brandão e constatou o vazamento de óleo diesel usado, que se estendeu por mais de cinco quilômetros na orla do lado direito do rio Negro, passando pelo bairro Mauazinho até as proximidades da estação de captação e distribuição de água do Programa Águas para Manaus (Proama).

De acordo com Brandão, a vistoria técnica constatou, também, que o material que vazou para o rio é um tipo de óleo diesel utilizado em motores marítimos e que deveria ser descartado de forma segura. “Ainda estamos aguardando a empresa informar ao Ipaam a quantidade de óleo que vazou para o rio e, a partir dai, elaborar qual a punição administrativa que será tomada”, disse.

Segundo ele, o trabalho de contensão do óleo diesel feito pela empresa com a utilização de “boias”, não foi suficiente para evitar a extensão do dano. Abner Brandão disse que o grupo Chibatão informou ao Ipaam não ter, no momento, a quantidade do material que vazou para as águas do rio Negro e que essa informação deverá ser fornecida nas próximas horas.

No fim da tarde desta terça-feira, a embarcação foi içada do fundo do rio e colocada ao lado de outros empurradores da empresa. Os fiscais acompanharam o encerramento do trabalho da retirada do barco de uma lancha do órgão de controle ambiental. Até sexta-feira, 31, o Ipaam vai finalizar o relatório do incidente e determinar a punição contra a empresa responsável pela embarcação.

FOTO: RICARDO OLIVEIRA/IPAAM