Fundação Matias Machline celebra 32 anos e anuncia ampliação do projeto para 2019

Uma festa para celebrar as conquistas e anunciar o que está sendo planejado para o futuro. Assim foi a solenidade que marcou os 32 anos da Fundação Matias Machline, realizada nesta quinta (14) no moderno campus da FMM, no Distrito Industrial de Manaus. O evento reuniu políticos, empresários e funcionários da Fundação, além de representantes de entidades de classe da capital amazonense. Todos fizeram questão de prestigiar um dos projetos mais importantes do Norte do Brasil, que se dedica a transformar a realidade de jovens carentes por meio da educação, oferecendo Ensino Médio Técnico gratuito e de excelência.

Dentre os presentes estavam: o senador Eduardo Braga, os deputados federais Pauderney Avelino e Gedeão Amorim, o presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado Sidney Leite, a deputada estadual Alessandra Campelo e a vereadora Professora Therezinha Ruiz, presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal de Manaus. Também compareceram representes do Tribunal de Justiça e do Ministério Público, além do empresário Renato Kassab. Logo na entrada, houve uma apresentação da história da FMM feita por alunos. Em seguida, foi oferecido um coquetel, com espetáculo teatral e música ao vivo.

De acordo com Sung Un Song, diretor-presidente da Digitron da Amazônia, atual mantenedora da Fundação Matias Machline, a FMM ganha maturidade ao completar 32 anos. Uma das mudanças que já estão acontecendo é a implementação de uma administração mais profissional e mais moderna. “A Fundação é um projeto social muito importante, com 95% dos alunos estudando gratuitamente. Para 2019, a transformação será grande: vamos atingir mil alunos, um recorde histórico, e o orçamento deve subir 20%”, afirma Song.

Sung Un Song explica ainda que a ideia é mudar o perfil fechado da Fundação Matias Machline, que sempre dependeu de um só mantenedor. “Hoje, a Fundação se vê como um patrimônio da cidade e da população, não de uma empresa. Ela vai se tornar muito mais transparente e mais voltada para os alunos da rede pública, com oportunidades iguais para todos”, garante Song.

Para Nancy Cavalcante, diretora de ensino da Fundação Matias Machline, o maior presente desses 32 anos é ver onde os alunos da FMM conseguem chegar. “Nosso maior orgulho é dizer que os estudantes ganham asas ao saírem daqui. Eles se destacam na sociedade e conseguem se colocar dentro da sua profissão nos melhores lugares. Também são classificados nas melhores universidades”, conta Nancy. “Entendemos que a educação é o melhor caminho para promover uma transformação social”, acrescenta ela.

Foto: Alex Pazzuelo