Germano Rigotto é oficializado como vice de Henrique Meirelles

Arte - Portal Desacato

Em convenção estadual do MDB no Rio Grande do Sul, neste domingo (5), o candidato ao Planalto, Henrique Meirelles oficializou o ex-governador gaúcho Germano Rigotto como candidato a vice-presidente na chapa.

Em discurso para platéia composto em sua maioria por candidatos a deputados e senadores emedebistas, o ex-governador declarou ser uma honra estar ao lado de Meirelles na corrida presidencial. Rigotto afirmou a importância de o MDB concorrer ao Planalto em uma candidatura própria, após 24 anos.

“Quando convocado agora para estar ao lado de Henrique Meirelles, eu recordo que a tese da candidatura própria volta com força. O MDB terá sua cara própria, terá suas teses, terá aquilo que vamos defender nessa campanha eleitoral com um homem honrado, digno, um homem que tem uma bagagem como nenhum outro candidato à presidência tem. Um homem preparado para as transformações que o Brasil precisa”.

Meirelles, que teve sua candidatura confirmada na última quinta-feira com aprovação de 85% da legenda, ressaltou que ter Rigotto como vice fará uma “grande diferença” na disputa. O ex-ministro da Fazenda disse ainda que, em época de extremismos, é fundamental conta com um “bom exército”, com aqueles que “só acreditam na democracia como sistema político”.

“Eu quero contar com vocês, e quero contar com meu companheiro Germano Rigotto. Quero contar com a sua experiência no setor público para trabalharmos juntos na implantação desse pacto de confiança pelo Brasil. Conto com você nessa caminhada e sei que é difícil, mas eliminei da minha vida a palavra impossível”.

Não é a primeira vez que Meirelles fala em confiança e que, para ele, não existe a palavra impossível. Essa é uma das bandeiras que o candidato tem defendido, sempre lembrando de sua trajetória como presidente do Banco Central no governo de Lula e como ministro da Fazenda de Temer.

Vice-presidente de Meirelles, Germano Rigotto é natural de Caxias do Sul (RS) e já foi vereador, deputado estadual e federal. Em 2002, foi eleito ao governo no segundo turno. Em 2010 se candidatou novamente, mas não foi reeleito.

Durante convenção em Porto Alegre, também foi oficializada a candidatura de José Ivo Sartori, que tenta a reeleição como governador do Rio Grande do Sul.

Reportagem, Juliana Gonçalves