Governo do Estado anuncia os 40 projetos contemplados no Sinapse da Inovação no Amazonas

Serão investidos R$ 2 milhões, sendo R$ 50 mil para cada projeto, para o desenvolvimento de produtos, bens, serviços ou processos inovadores

O governo do Estado via Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplan-CTI) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) em parceria com a Fundação Centro de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi) divulgam, nesta quinta-feira (19/11), às 14h30, os 40 projetos escolhidos no programa Sinapse da Inovação.
O anúncio será realizado durante coletiva de imprensa no 1º Demo Day da Região Norte, evento realizado pelo governo do Estado, por intermédio da Seplan-CTI, durante a Feira Internacional da Amazônia (Fiam), realizada nono Studio 5 Centro de Convenções (Avenida General Rodrigo Octávio, nº 3.555, Distrito Industrial, zona sul).
Com investimentos na ordem de R$ 2 milhões, sendo R$ 50 mil para cada projeto selecionado, o Programa Sinapse da Inovação é uma iniciativa de vanguarda do governo do Estado que visa estimular a criatividade e o empreendedorismo por meio de ideias de desenvolvimento de produtos (bens e/ou serviços) ou de processos inovadores que incorporem novas tecnologias aos setores econômicos de relevância para o Amazonas.
A operação-piloto do Sinapse da Inovação no Estado recebeu 1.188 propostas de ideias inovadoras e contabilizou 2.461 participantes nas equipes inscritas, um recorde nacional. As ideias foram provenientes de 14 municípios do Amazonas. O programa tem por objeto estimular a criatividade e o empreendedorismo da população local, por meio da submissão de ideias inovadoras visando à seleção de projetos para a concessão de recursos financeiros não reembolsáveis, na forma de subvenção econômica.
Para o secretário de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação, Thomaz Nogueira, os investimentos em inovação, sobretudo no aporte de recursos às ideias provenientes do interior do Amazonas, são fundamentais para diversificação da economia no Estado.
“Esperávamos algo em torno de 300 propostas e recebemos mais que o triplo disto. Depois de sucessivas etapas e processos, chegamos as 40 ideias para as quais aportaremos R$ 50 mil. Isso se alinha com a proposta que temos no sentido de fazer com que a inovação aconteça, não apenas que sejam ideias, mas que elas possam ser viabilizadas para a realidade. Isso é absolutamente fundamental dentro da proposta de diversificação da nossa economia”, disse Thomaz Nogueira.
O diretor-presidente da Fapeam, René Levy Aguiar, ressaltou o recorde de inscritos no Sinapse da Inovação no Amazonas e como o programa pode ser o propulsor de uma nova alternativa econômica para o Estado. “Recebemos 1.188 inscrições em uma demonstração, clara que o Estado tem potencial econômico para geração de emprego e renda, sobretudo no interior do Estado, de onde vieram parte das propostas inscritas. Com esse volume de investimentos, o governo do Estado possibilita que ideias sejam transformadas em iniciativas de sucesso”, disse.
Em Santa Catarina, onde o programa foi criado, já foram realizadas cinco operações, as quais resultaram em quase 300 startups inovadoras, mais de 1,2 mil empregos diretos gerados e 94 patentes depositadas.

Processo de seleção
A primeira fase do Sinapse da Inovação no Amazonas compreendeu o processo de inscrição. Ao todo, 1.188 ideias inovadoras foram inscritas e destas, 150 foram escolhidas para a segunda fase do programa. Cada uma das 1.188 ideias inovadoras inscritas na primeira fase passou pela avaliação de, ao menos, dois especialistas nas áreas estratégicas e foram classificadas pelo grau de inovação dentro da área escolhida.
Na segunda fase, os 150 selecionados participaram de uma capacitação promovida pela Fundação Certi e tinham de apresentar um Projeto de Empreendimento para o Amazonas. As 150 ideias escolhidas fazem parte de 10 áreas estratégicas ao Amazonas, tais como Eletroeletrônica; Metalmecânico; Tecnologia da Informação e Comunicação; Bioeconomia; Novos Materiais; Saúde e Bem-estar; Biotecnologia; Energia, Petróleo e Gás; Logística; e Turismo, e visam gerar frutos positivos para a economia do Estado.
Ao final desta fase, 80 projetos foram selecionados a partir de, entre outros, grau de inovação, características e estágio de desenvolvimento do produto/ideia inovadora, clientes potenciais, competência técnica e experiência da equipe, estrutura do negócio e viabilidade econômica.
Na terceira e última fase, os 80 selecionados tinha de apresentar um Projeto de Fomento no qual precisavam informar à Fundação Certi como pretendiam utilizar os recursos financeiros disponibilizados pelo governo do Estado via Fapeam.
A partir deste planejamento e com base nos resultados das demais etapas, as 40 propostas foram escolhidas e receberão o aporte financeiro, na modalidade de subvenção econômica, para concretização das ideias inovadoras.

Agência Fapeam