Guarda Municipal de Manaus completa 69 anos e marcha no centro da cidade

O evento contou com presença de representantes de outros estados e municípios do AM

Guardas municipais de Manaus realizaram nesta sexta-feira (15) a 3° Marcha Azul Marinho de guardas municipais do estado do Amazonas e IV Seminário de Segurança Pública Municipal. A caminha saiu da Praça do Congresso e terminou no Palácio Rio Branco. Guardas e convidados passaram o dia em atividades, como palestras e discussões sobre a classe.

A marcha que nasceu em São Paulo e contou com a presença do idealizador Maurício Domingues da Silva conhecido como Naval, tem a finalidade de chamar atenção de autoridades e população da importância da guarda municipal na segurança pública.

Sobre o movimento da classe no Amazonas, Naval aponta que o caminho para prevenção da criminalidade são os guardas municipais. “Com essa ações, conseguimos mostrar a importância da nova ferramenta de segurança pública, os guardas municipais. A partir do momento que a população conhece e começa a cobrar essa guarda do poder público a segurança aumenta”, disse Naval.

Após caminhada e palestras, homenagens foram concedidas no auditório do Palácio Rio Branco. Destaque foi para a guarda municipal Ana Kátia Moreira, 47 anos, que exerce a profissão há 27 anos. “Nós fazemos parte da segurança pública. Manaus tem uma das guardas municipais mais antigas do Brasil com 69 anos. Hoje está presente neste evento e ser homenageada é suma importância para a classe”, frisou.

Além de compor a mesa a vereadora Joana D’arc protetora dos animais (PR) também foi homenageada por ser a única mulher na Câmara Municipal de Manaus que apoia a causa. “Na Câmara nós implementamos a Frente Parlamentar em Defesa da Guarda Municipal, porém a comissão negou o pedido. Mas, eu estou em total apoio pela causa e trabalhamos para que outros vereadores se juntem a nós para encontramos soluções na segurança pública dos municípios “. disse D’arc.

15 representes de municípios do interior do Amazonas participaram da marcha como Borba, Iranduba , Tefé e estados como Pará e Rondônia.

FOTO: Matheus Ponce