Henrique Meirelles defende correção da tabela do imposto de renda

O candidato à presidência pelo MDB Henrique Meirelles defendeu nesta segunda-feira (12) a correção da tabela do imposto de renda. Ele falou sobre o assunto durante a sabatina realizada pela rádio CBN e pelo portal G1. Disse também que a tabela, que determina as faixas de renda, isenção e alíquotas, é antiga. A medida impacta na renda de todos os trabalhadores, já que pode diminuir o valor descontado dos vencimentos. Para isso, Meirelles defende que primeiro é necessário realizar as reformas tributária e previdenciária .

“É possível fazer isso, mas temos que dizer a verdade e tem sim que aprovar as reformas para que o país possa corrigir todos os demais problemas e ter recursos pra investir onde deve, não só corrigir a tabela do IR, mas muito mais do que isso, nós temos que investir em segurança, temos que investir em saúde”.

Questionado pelo jornalista Gerson Camarotti, o candidato afirmou que deve manter a reforma previdenciária proposta por ele quando era ministro da Fazenda de Michel Temer. O governo ainda não conseguiu apoio no Congresso Nacional para aprovar o projeto, que deve aumentar o tempo de contribuição e diminuir diferenças entre servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada.

Meirelles também foi questionado sobre as propostas para a segurança pública, já que o país amanheceu em alerta. Pelo menos cem presos fugiram da penitenciária de segurança máxima de João Pessoa (PB) na madrugada desta segunda-feira (10). A ação ocorreu com o auxílio de criminosos do lado de fora da unidade, que explodiram muros e entraram com veículos.

O emedebista afirmou que uma ação tão bem planejada como uma fuga desse porte deveria ser identificada pelos sistemas de inteligência da polícia. O candidato propõe um sistema unificado de informações coordenado pela Polícia Federal e com sede em Brasília, reunindo informações de todas as polícias estaduais do país.

Ao comentar sobre as denúncias do MDB e a impopularidade de Temer, o ex-presidente do Banco Central nos governos Lula também alegou que todos os grandes partidos têm problemas, e afirmou que ainda não tem nomes de possíveis ministros em mente.

Reportagem, Ana Luiza de Carvalho

#Eleições2018