Homem envolvido em homicídio é preso no Distrito de Cacau Pirêra

As delegadas Sylvia Laureana e Suely Costa, titulares, respectivamente, da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) e Posto de Policiamento Integrado (PPI) do Distrito de Cacau Pirêra, ambos situados em Iranduba, cumpriram nesta quarta-feira (29/8), mandado de prisão preventiva por homicídio, em nome de José Lucas Andrade da Rocha, 25, conhecido como “Lucas Metal”, envolvido na morte de Darlan Costa da Silva, executado com sete tiros no dia 17 de junho deste ano, no Distrito do Cacau Pirêra.

Conforme a delegada Suely Costa, que está respondendo interinamente pela titularidade do PPI, a ação policial foi deflagrada em conjunto com policiais civis lotados na Delegacia Integrada de Polícia (DIP) de Itacoatiara, município distante 176 quilômetros em linha reta da capital, sob o comando do delegado Lázaro Ramos, titular daquela unidade policial, após a equipe de investigação da DIP de Itacoatiara receber uma denúncia anônima, informando que José Lucas estava em uma lanchonete no lugar.

“Em ato contínuo, os policiais civis lotados na delegacia de Itacoatiara se deslocaram até a lanchonete e prenderam o rapaz. Em seguida, ele foi conduzido ao município de Iranduba, onde cumprimos o mandado de prisão preventiva em nome dele. A ordem judicial em nome de José Lucas foi expedida no dia 25 de julho deste ano, pelo juiz Carlos Henrique Jardim da Silva, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Iranduba”, explicou Costa.

Ação criminosa – De acordo com a titular do PPI, o crime ocorreu na madrugada do dia 17 de junho deste ano, por volta das 2h. Na ocasião, José Lucas, juntamente com três comparsas, sendo dois deles Gabriel Barbosa Feitosa, conhecido como “Tinga”, e Paulo Henrique Rodrigues Queiroz, o “Paulinho Couro Desce”, que já estão presos, invadiram a casa de Darlan e efetuaram sete disparos de arma de fogo em direção à vítima, que veio a óbito no local.

“Esse homicídio foi motivado pela disputa pelo tráfico de drogas no município. José Lucas é investigado, ainda, pelos homicídios de Gutemberg Miranda da Silva, ocorrido em setembro de 2014, e de Cláudio Ferreira de Lira Filho, que era conhecido como “Latinha”. Gutemberg tinha 14 anos”, ressaltou Suely Costa.

Indiciamento – José foi indiciado por homicídio. Ao término dos trâmites legais na DIP de Iranduba, ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), em Manaus. Conforme Suely Costa, as investigações em torno da morte de Darlan irão continuar, até que o quarto elemento envolvimento no delito seja localizado e responsabilizado criminalmente pelo ato cometido.

FOTO: Divulgação / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas.