Índice Estadual da Construção Civil varia 0,65% em dezembro e fecha o ano em 5,02%

O Índice Estadual da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo IBGE em parceria com a CAIXA, apresentou variação de 0,65% em dezembro, o que significou uma aceleração de 0,48 ponto percentual em relação à taxa de 0,17% de novembro. Com isto, o ano de 2014 fechou em 5,02%, abaixo da media nacional de 6,20%. Os resultados acumulados levam em conta a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil prevista na lei 12.844, sancionada em 19 de julho de 2013.

A parcela de materiais, com variação de 1,30%, comparada com o mês anterior (0,30%), registrou aceleração de 1,0 ponto percentual. A mão de obra ficou em -0,22%, o que significa uma queda no mesmo percentual (-0,22) na comparação a novembro (0,00%).

Por metro quadrado, o custo estadual passou de R$ 909,94 (novembro) para R$ 915,87 (dezembro), sendo R$ 528,79 relativos às despesas com materiais e R$ 387,08 com a mão de obra.

Os resultados de 2014 apontam uma variação de 4,84% para os materiais. Já o acumulado da parcela do custo referente aos gastos com mão de obra registrou alta de 5,28%. Em 2013, a parcela dos materiais aumentou 2,36% e a mão de obra passou a custar 6,27% menos já que, naquele ano, incidiu a desoneração sobre a folha de pagamentos. Assim, por metro quadrado, as despesas com materiais chegaram a R$ 528,79 em dezembro de 2014, enquanto que a parcela da mão de obra fechou o ano em R$ 387,08.