Inpa, Ampa e Ipaam capacitam profissionais de flutuantes para atuar com turismo legalizado com botos

O curso será ministrado nos dias 24 e 25 de julho, no auditório da biblioteca do Inpa, das 8h às 17h

O ‘I Curso de Boas Práticas para Interação entre Boto-Vermelho e Turistas’, promovido pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) em parceria a Associação Amigos do Peixe-boi (AMPA), acontece nos dias 24 e 25 de julho, e tem o intuito de capacitar funcionários de flutuantes que praticam o turismo de interação com o boto-vermelho.

Segundo a diretora administrativa da Ampa, a pesquisadora do Inpa Vera da Silva, o curso de capacitação faz parte do cumprimento da Resolução/CEMAAM N. 28, de 22 de janeiro de 2018. “Vamos tratar sobre as diretrizes e procedimentos observados na autorização e desenvolvimento de atividades de interação de baixo impacto que envolva seres humanos e botos-vermelhos”, disse.

A pesquisadora explica ainda que o curso abordará desde aspectos da biologia, ecologia e comportamento do boto-vermelho, legislação ambiental, além de noções de segurança para o turismo, conforme estabelece a Resolução.

De acordo com o procurador do Ministério Público Federal, Rafael Rocha, esta é uma ação que converge com os objetivos do programa Alerta Vermelho, que foram estabelecidos no termo de ajustamento de conduta e do termo de compromisso entre o MPF e a Ampa.

“A ideia é capacitar agentes públicos assim como reforçar a fiscalização. A partir do momento que se tem um trabalho educativo pedagógico para orientar as pessoas que vão tratar diretamente com os botos, tenho certeza que o objetivo será alcançado”, comenta.

Programação

Durante o curso os palestrantes abordarão vários assuntos, como: Biologia do boto-vermelho, monitoramento das populações de boto vermelho no Amazonas, Introdução à Legislação Ambiental, Licenciamento Ambiental, Normas da Marinha do Brasil para estruturas flutuantes não destinadas à navegação e Introdução geral sobre preservação de produto de origem animal, dentre outros assuntos.

A ação é parceria com o Ministério Público Federal e o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), e conta com palestrantes do Inpa, Ampa, AmazonasTur, Marinha do Brasil, Instituto Chico Mendes, e do Instituto Federal do Amazonas.

Inscrições

As inscrições, que custam R$100, podem ser realizadas no dia do evento que tem como público-alvo funcionários de flutuantes e comunitários que residam nas proximidades de locais que façam interação com o boto-vermelho e agências de turismo.