Jovem morre na frente da mãe após ser baleado na Zona Norte

De acordo com mãe da vítima, crime pode ter sido motivado por vingança. Homens em motocicleta são suspeitos do crime.

Um jovem de 18 anos morreu a caminho do Hospital Platão Araújo, em Manaus, na madrugada desta quinta-feira (11), após ser baleado. De acordo com informações da família, o ajudante de pedreiro Eduardo Rodrigues do Nascimento voltava para casa quando foi abordado por um homem, que efetuou disparos contra a vítima. Os familiares acreditam em vingança. Segundo parentes, o jovem era descendente da tribo indígena Apurinã.

A mãe de Eduardo, Raimunda do Nascimento, de 34 anos, contou que o filho havia saído de casa por volta das 22h de quarta-feira (10) para encontrar um desconhecido da família. Na volta, o jovem foi abordado na Avenida Margaruta, bairro Cidade de Deus, por volta de 00h30. “Ele estava sozinho e a pé. Alguns vizinhos disseram que viram dois homens em uma moto passarem por ele. Depois, eles voltaram para efetuar os tiros”, relatou a auxiliar de serviços gerais.

Conforme informações do Instituto Médico Legal (IML), o jovem foi atingido por seis tiros nas pernas, tórax e cabeça. A vítima, que era natural de Iranduba, chegou a ser socorrida, mas morreu a caminho do Hospital Platão Araújo, situado na Zona Leste. “Ele pegou no meu rosto com as mãos cheias de sangue, acariciando meu rosto como se tivesse se despedindo e logo em seguida foi perdendo as forças. Vi meu filho morrer. Nunca esquecerei essa cena”, disse a mãe de Eduardo.

A família acredita que o crime tenha sido motivado por vingança. Segundo parentes, há dois anos, o jovem foi assaltado por um homem que levou cordão e celular dele. “No dia seguinte, ele encontrou o ladrão e o reconheceu. Ele agrediu essa pessoa e depois ficou recebendo ameaça”, afirmou a mãe da vítima ao G1.

Eduardo era um dos cinco filhos de Raimunda. “Ele não tinha envolvimento com drogas nem era de se meter em confusão”, disse a mulher.

Os suspeitos do crime estariam sem capacete. O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Adneison Severiano Do G1 AM