Juiz diz que jornal faz propaganda “travestida” de reportagem contra Amazonino

O juiz auxiliar Ricardo Augusto de Sales, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), reiterou a decisão em que condenou o jornal Amazonas Em Tempo por violação da legislação eleitoral por publicação paga na internet de propaganda denegrindo o candidato da coligação “Eu voto no Amazonas”, Amazonino Mendes (PDT). O magistrado condenou o jornal pela prática de propaganda irregular, com multa no valor de R$ 5 mil.

De acordo com a decisão, a publicação o jornal “tem evidentíssimo condão de propaganda eleitoral, posto que se dedica exclusivamente a artificial e onerosamente aumentar a difusão de conceitos negativos contra o candidato Amazonino Armando Mendes”. O juiz completa: “formalmente travestidas de reportagem, materialmente caracterizam propaganda eleitoral negativa em desfavor do ora representante, a merecer reprimenda da Justiça eleitoral”.

O magistrado determinou, ainda, a permanência da remoção da veiculação da matéria publicada pelo jornal em sua página no Facebook, como já havia decidido anteriormente.

Fake news

Pelo seu poder destrutivo e por ameaçar a própria democracia, as notícias falsas, atualmente, são a principal preocupação da Justiça Eleitoral em todo o País. No Amazonas, o TRE instituiu, o Comitê de Repressão e Combate às Fake News. A ofensiva do TRE-AM tem o objetivo de estudar medidas necessárias à prevenção da divulgação de notícias falsas nas Eleições Gerais de 2018, bem como reprimir a proliferação desses conteúdos.

Texto – assesoria de imprensa