JULHO AMARELO – Municípios do Amazonas intensificam ações de prevenção às Hepatites Virais

Os 62 municípios do Amazonas estão intensificando, neste mês, as atividades de prevenção às Hepatites Virais, como parte da campanha “Julho Amarelo”. As ações serão desenvolvidas nas unidades de saúde, por meio de palestras, distribuição de preservativos masculinos, folders informativos sobre a doença, além de realização de Testes Rápidos para Hepatites B e C. A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) enviou aos municípios mais de 1,4 milhão de preservativos e 51 mil kits de Testes Rápidos para Hepatite B e 48,5 mil para Hepatite C.

As atividades nos municípios contam com o apoio da Coordenação Estadual de IST/AIDS/Hepatites Virais da Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), unidade da Susam. A campanha “Julho Amarelo” chama a atenção da população para a prevenção às Hepatites Virais, doença silenciosa, de evolução lenta e que, na maioria das vezes, progride para situações de maior gravidade, que acometem o fígado. O Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais é 28 dejulho.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as Hepatites atingem cerca de 20 milhões de pessoas em todo o mundo, dos quais, 1,4 milhão morre a cada ano, em decorrência de complicações graves como insuficiência hepática, cirrose e câncer de fígado.

O diretor-presidente da FMT-HVD, Marcus Guerra, explica que as atividades que serão desenvolvidas durante a campanha “Julho Amarelo” têm por objetivo informar e orientar a população sobre as formas de transmissão da doença e a necessidade de realização de Testes Rápidos. A coordenadora estadual de IST/AIDS/HV, Dessana Chehuan, também reforça esse propósito, ressaltando a importância da prevenção, do diagnóstico precoce e o tratamento correto da doença.

Chehuan destaca que os preservativos e folders informativos sobre as Hepatites Virais estarão disponíveis para a população, tanto nos serviços de saúde quanto nas ações de prevenção e testagem, a serem realizadas em pontos estratégicos dos municípios. O Teste Rápido para detecção das Hepatites B e C será disponibilizado nas unidades de saúde e nas instituições parceiras, de acordo com atividades programadas.

Transmissão – As Hepatites B, C e D podem ser transmitidas por meio da relação sexual sem proteção, transfusão de sangue e derivados contaminados, compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas e cachimbos), de objetos cortantes e perfurantes, como alicates de unha, lâminas de barbear e de depilar, além de escovas de dente. A doença também pode passar da mãe para o filho, durante a gestação.

Diagnóstico – O Amazonas possui uma rede de diagnóstico, com oferta de Testes Rápidos para a detecção das Hepatites B e C, disponível nos 62 municípios. As unidades de referência para realização dos exames são: Laboratório Central (Lacen), que é do Estado e atende a todos os municípios do interior, Laboratórios de Fronteira (Lafron), direcionados à região do Alto Solimões, FMT-HVD, na capital, e os laboratórios distritais da Secretaria de Saúde de Manaus (Semsa).

Tratamento – Para o acompanhamento e tratamento das Hepatites Virais, a Fundação de Medicina Tropical, em Manaus, continua sendo a principal referência para a capital e interior. Outras unidades de atendimento são: Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ) e Fundação Alfredo da Matta, da rede estadual de saúde, e o Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). No interior, são referências também os municípios de Coari, Tefé e Eirunepé, que possuem Serviço de Assistência Especializada para as Hepatites Virais.

A doença em números – No período de janeiro de 2001 a dezembro de 2017, o Amazonas registrou aproximadamente 15.980 casos de Hepatites Virais. Os municípios com maior incidência desses agravos são: Manaus, Eirunepé, Lábrea, Coari, Boca do Acre, Tefé, Manacapuru, Fonte Boa e Atalaia do Norte.