Manaus terá a primeira unidade pública bilíngue em Libras do Norte do país

A assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (Tac) entre a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas (Seduc) e o Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), na manhã de quinta-feira (05/07), determinou a reforma da Escola Estadual Augusto Carneiro dos Santos, que passará a ser a primeira unidade pública bilíngue em Língua Brasileira de Sinais (Libras) do Norte do País.

A cerimônia de assinatura do termo foi realizada no prédio do MP/AM, no bairro da Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, e contou com a presença do secretário de Educação do Amazonas, professor Lourenço Braga, e da procuradora da 59ª Promotoria de Direitos do Cidadão, Delisa Olívia Ferreira.

De acordo com o gerente de Atendimento Educacional Específico da Seduc, Marcos Alcântara, a assinatura do termo é um ganho para a educação. “Muitas gestões já se passaram e a escola vem sofrendo por três anos consecutivos a divisão com outra escola específica chamada Diofanto Vieira e são dois públicos distintos: uma trabalha com adultos com deficiência intelectual e outras deficiências e a Augusto Carneiro trabalha com alunos que têm deficiência auditiva ou surdez. Após conversa com o secretário Lourenço Braga nós tivemos a grata satisfação dele ter tomado a decisão de fazer acontecer mesmo. Foi fantástica essa conduta dele enquanto gestor”, disse.

Inclusão – Com a reforma da escola, a unidade passará a atender tanto alunos surdos quanto ouvintes, favorecendo a inclusão. “A relevância desse termo de ajustamento e da escola bilíngue para os alunos surdos da cidade de Manaus e do Estado do Amazonas como um todo, é justificada porque será a primeira escola bilíngue da Região Norte do Brasil. Segundo, atendendo a política nacional da educação especial na perspectiva da educação inclusiva de 2008, estaremos possibilitando que as crianças que têm deficiência auditiva ou surdez, tenham acesso a outras pessoas que não tenham o mesmo comprometimento e aí o interessante é que dentro da proposta bilíngue, a Língua 1 (L1) será a Libras e não a Língua Portuguesa, então aqueles alunos que estarão ali matriculados, já irão sabendo que a língua prioritária dentro da escola será a Libras”, explicou Alcântara.

“Se você imaginar uma criança que faz parte de uma família aonde pai e mãe são ouvintes e os dois irmãos são ouvintes, mas o terceiro filho é surdo. E aí o que acontece? Os irmãos dele vão ter a oportunidade de estudar em uma escola que ensina Libras como primeira língua e vão poder então levar esse conhecimento para dentro do seio familiar. É a proposta da inclusão não somente na escola”, destacou o professor.

Após reformada, a escola, que antes funcionava na Avenida Joaquim Nabuco, no Centro de Manaus e onde atualmente funciona o prédio da Coordenadoria Distrital de Educação 1 da Seduc, passará a funcionar no mesmo local.

Com a reforma, o número de atendimentos na unidade também será ampliado. “A unidade vai ser reformada. O projeto é para atender não somente alunos surdos e por conta disso, a unidade irá contemplar um maior número de alunos. A escola funcionará na Avenida Joaquim Nabuco e teremos condições para atender alunos surdos e ouvintes, por isso uma escola bilíngue”, afirmou Marcos Alcântara.