MDB no Amazonas confia em candidatura de Meirelles para defender o estado em decisões do governo

Foto - Bloomberg

O diretório do MDB no Amazonas vai apoiar o pré-candidato Henrique Meirelles na convenção partidária que confirmará o ex-ministro da Fazenda como postulante à presidência. O evento está marcado para esta quinta-feira (2), em Brasília.

De acordo com o secretário do MDB amazonense, Miguel Capobiango, o apoio e sensibilidade do ex-ministro em relação à questões do estado aumentam ainda mais a mobilização para apoiá-lo como candidato ao Planalto. A população do Amazonas quer, segundo ele, derrubar um decreto presidencial que leva perigo à Zona Franca de Manaus.

“Nós temos oito delegados que vão à convenção e está tudo redondo, tudo correto. Estamos preparados para iniciar a nossa campanha propriamente dita. {…} Já conversei pessoalmente com ele, inclusive, sobre isso (da Zona Franca de Manaus) e ele está bastante sensibilizado com a situação. É óbvio que ele como candidato do MDB precisa, também, ajustar isso com o pessoal da Fazenda”.

O pré-candidato ao Palácio do Planalto, Henrique Meirelles, ressalta que sua candidatura terá impulso assim que for confirmada pelo partido.

“No momento em que for confirmada a candidatura pelo MDB, terá um impulso grande e depois quando mostrarmos na televisão a proposta de que a candidatura é oficial, é forte e tem o apoio do partido no Brasil inteiro. Eu tenho uma história em que tive oito anos no governo Lula e o Brasil cresceu muito, criou emprego e vamos mostrar o meu papel. Tiramos o Brasil, agora no governo do presidente Temer, da maior recessão da história, criamos empregos. Tudo isso faz com que nós tenhamos condições de, aí sim, termos um deslanche grande na candidatura”.

Para lançar a candidatura, Henrique Meirelles precisa de pelo menos metade mais um dos votos dos delegados do MDB na convenção nacional do partido.

De acordo com pessoas próximas ao ex-ministro, a expectativa é de que ele tenha 450 dos 600 votos possíveis. Com a provável confirmação da candidatura, essa será a primeira vez, desde Orestes Quércia, em 1993, que o MDB apresenta um concorrente ao Palácio do Planalto.

Reportagem, Clara Sasse