MDB oficializa Henrique Meirelles como candidato do partido à presidência

O MDB oficializou a candidatura de Henrique Meirelles como candidato do partido à presidência da República. O resultado foi anunciado após votação na convenção nacional da legenda. Meirelles recebeu 85% dos 419 votos, percentual maior do que o atual presidente Michel Temer recebeu em 2014 para ser vice da chapa de Dilma Rousseff, que teve 54%.

A convenção do partido ocorreu nesta quinta-feira (2), em Brasília, e contou com a presença de cerca de mil pessoas. Desde que foi anunciado como pré-candidato, Meirelles circulou por todo o país e encontrou líderes de vários setores. Ao discursar após o resultado da votação, Henrique Meirelles criticou os candidatos extremistas e defendeu que pretende usar as diversidades presentes no Brasil para que o país possa crescer.

“Precisamos vencer as amarras da desconfiança, que são alimentadas pelos candidatos extremistas, pelas suas atitudes, propostas e histórico. Ao invés de propor a união de esforços por um objetivo comum, muitos criam barreiras que só aumentam as divisões entre os brasileiros. Eu penso muito diferente. Eu quero usar as nossas diferenças para crescer”.

O candidato se apresentou como o “homem que tirou o país da crise por duas vezes”. A trajetória de destaque como presidente do Banco Central e ministro da Fazenda, inclusive, virou letra de seu jingle “Chama o Meirelles”. Após ser aclamado como candidato, Meirelles apresentou a base de suas propostas, chamado por ele de “pacto pela confiança”. Entre as propostas apresentadas, o candidato destacou a área econômica.

“Para gerar empregos de verdade, é fundamental resgatar a confiança no Brasil adotando uma política econômica correta para crescer. E depois levando adiante uma agenda de reformas visando permitir que o Brasil produza mais e melhor”.

Goiano de Anápolis, Henrique Meirelles é um dos economistas mais respeitados do país. Com carreira no mercado financeiro, trabalhou por quase 30 anos no BankBoston, chegando a ser presidente internacional da instituição, uma das mais importantes do mundo.

Em 2002, Meirelles foi eleito o deputado federal mais votado do estado de Goiás. Presidente do Banco Central, entre 2003 e 2010. Ministro da Fazenda até abril deste ano, Meirelles comandou a retomada da estabilidade econômica do país, após a crise política e financeira de 2015 e 2016.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes