Meirelles afirma que ter recuperado a economia o torna apto para ser presidente

A Confederação Nacional da Indústria, a CNI, promoveu nesta quarta-feira (4) sabatina com seis pré-candidatos à Presidência da República, em Brasília. Henrique Meirelles, aspirante ao Planalto pelo MDB, discursou para empresários e representantes da indústria.

Em entrevista coletiva, Meirelles mostrou-se confiante em reverter o quadro demonstrado pelas atuais pesquisas e confia em um reconhecimento da população por ter recuperado a economia em governos anteriores.

“Portanto, as pesquisas mostram com clareza, que no momento em que nós elevarmos o nível de conhecimento da população sobre o meu histórico, o fato de que nos oito anos que eu trabalhei no governo do Lula, o Brasil cresceu muito, eu saí, o Brasil entrou em recessão. Fui ministro da Fazenda do governo Temer, o Brasil voltou a crescer, devagar, mas foram só dois anos. E essa experiência leva a população, claramente, quem tem acesso a essas informações tira duas conclusões. Primeiro, este candidato, senhor Henrique Meirelles, tem resultado concreto para mostrar. Já trabalhou e já deu resultados, criou resultados para o povo. Sessenta milhões de brasileiros entraram na classe média entre 2003 e 2014, que é o número preciso. Mas, a maior parte disso, mais de 90%, até 2010. Portanto, foi um crescimento enorme da economia brasileira. Quem era o responsável pela economia durante esse período de 2003 a 2010? Senhor Henrique Meirelles”.

O pré-candidato pelo MDB também falou sobre a situação interna do partido para definir quem será o candidato à presidente.

“Como já dizia o Nelson Rodrigues, toda unanimidade é burra. Então, nós temos um partido rico, um partido presente no Brasil inteiro, então é muito bom que exista alguma outra que questione. Agora, o importante é que nós levando a história, a mensagem no Brasil inteiro e a grande maioria dos convencionários já manifestaram apoio e tenho certeza que vamos chegar e ter uma vitória consagradora na convenção do dia 31 de julho”.

Meirelles também falou sobre a reforma tributária. O pré-candidato afirmou que pretende tratar o assunto como prioridade, caso seja eleito.

“A reforma tributária é absoluta prioridade. Ela não tá feita, a proposta, está em andamento, existe já uma proposta de reforma do PIS/Cofins, feito pela Receita Federal. Existe já um projeto que está sendo discutido com a Comissão Especial da reforma tributária na Câmara, e nós estamos trabalhando isso, eu tenho uma equipe técnica altamente qualificada, fazendo uma proposta nesse sentido. A ideia é simplificarmos em primeiro lugar, e, por exemplo, todos os impostos de valor adicionado PIS/Cofins, ICMS, ISS, e etecetera, e consolidando um imposto sobre o valor agregado. E, a partir daí, fazer a distribuição para os estados, municípios. Em um primeiro momento neutra, não se pretende fazer uma redistribuição tributária, aumentar a parcela do governo federal, ou diminuir. Em um primeiro momento, ela vai simplificar o sistema como um todo, torna-lo mais transparente e facilitar a vida de todos. É um projeto de simplificação tributária fundamental”.

Durante o evento, Meirelles também afirmou que é preciso “simplificar o sistema tributário e torná-lo mais transparente.”

A sabatina da CNI marcou o primeiro encontro entre os pré-candidatos à Presidência da República e representantes de setor econômico do país. Além de Meirelles, participam do encontro Geraldo Alckmin, do PSDB; Marina Silva, da Rede Sustentabilidade; Jair Bolsonaro, do PSL; Álvaro Dias, do Podemos, e Ciro Gomes, do PDT.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes

#Eleições2018