Motorista de caminhão é preso por abusar sexualmente dos próprios filhos e sobrinhas

A equipe de investigação da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) cumpriu na manhã desta sexta-feira (3/8), por volta das 10h, mandado de prisão preventiva por estupro de vulnerável, em nome de um motorista de caminhão de 42 anos, denunciado por abusar sexualmente dos próprios filhos, um casal de gêmeos, de 12 anos, e das sobrinhas de dois e sete anos. A ação foi comandada pela delegada Joyce Coelho, titular da unidade policial.

De acordo com a autoridade policial, o homem foi preso na casa da mãe dele, na rua Cabral Rolim, bairro Alvorada, zona centro-oeste da capital. Conforme Joyce Coelho, as investigações em torno dos estupros tiveram início no dia 20 de junho deste ano, após a mãe dos gêmeos, uma técnica de Enfermagem de 39 anos, ex-companheira do motorista, formalizar Boletim de Ocorrência (BO) na Depca sobre os crimes.

“Demos início às investigações e constatamos que o infrator vinha abusando sexualmente dos filhos desde que os gêmeos tinham seis anos. Os estupros ocorriam na casa onde ele morava com a ex-companheira, no bairro Alvorada. Além das vítimas de 12 anos, o infrator violentou, ainda, as sobrinhas dele. Na manhã de hoje (3/8) recebemos a informação de que o motorista estava escondido na casa da mãe e efetuamos a prisão dele no lugar”, explicou Coelho.

A titular da Depca destacou que a mãe das crianças trabalhava pela parte da noite e, durante esse período, ele cometia os estupros. Após consumar os estupros, o infrator ameaçava bater nos filhos, caso eles contassem a alguém o que havia acontecido. O mandado de prisão preventiva por estupro de vulnerável, em nome do motorista, foi expedido no dia 3 de julho deste ano, pela juíza Patrícia Chacon de Oliveira Loureiro, da Vara Especializada em Crimes contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes.

O homem foi indiciado por estupro de vulnerável. Ao término dos procedimentos cabíveis na Depca, o infrator será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

FOTO: Divulgação / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas.