Moura Tapajóz promove workshop sobre classificação para reduzir número de partos cesáreos

(Foto:Reprodução)

Na próxima segunda-feira, 30/7, às 19h30, a Maternidade Dr. Moura Tapajóz (MMT), da Prefeitura de Manaus, promoverá workshop com o tema “Classificação de Robson na Rotina da Maternidade”. A classificação de Robson é o método padrão para categorizar, monitorar e avaliar as taxas de cesárea nas instituições de Saúde.

Esse método estatístico classifica as mulheres em dez grupos de parâmetros obstétricos – como idade gestacional e número de fetos – e é base do mapeamento realizado pelo Ministério da Saúde (MS) desde março deste ano, para acompanhar a quantidade de partos cirúrgicos no Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o País.

O workshop ficará a cargo do médico ginecologista e obstetra, Carlos Henrique Esteves Freire, e, durante o evento, serão divulgados os resultados da pesquisa “Aplicação da classificação de Robson como ferramenta de avaliação da assistência ao parto”, da residente de Ginecologia e Obstetrícia da Maternidade Ana Braga e Universidade do Estado do Amazonas (MAB/UEA), Raquel Teixeira. O público-alvo são profissionais médicos e enfermeiros da maternidade.

A diretora da MMT, Angélica Marocchio, explicou que o objetivo é reduzir ao máximo a realização desnecessária de cesarianas na Moura Tapajóz. A Organização Mundial de Saúde (OMS) já declarou que taxas de cesariana acima de 10% não estão associadas a reduções da mortalidade materna e neonatal. Pelo contrário: há potenciais riscos associados a este procedimento. Por isso, sempre é enfatizado que cesáreas só devem ser realizadas quando indicadas por motivos médicos.

A atividade é mais um passo no desenvolvimento dentro da Moura Tapajóz do “Apice On”, projeto ao qual a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) aderiu em agosto do ano passado. O objetivo é contribuir com a implantação de práticas de cuidado baseadas em evidências científicas na atenção ao parto, nascimento, atenção humanizada às mulheres em situação de violência ou abortamento e planejamento reprodutivo.

O Ministério da Saúde lançou o projeto “Apice On” para qualificar e ampliar a atenção obstétrica e neonatal em hospitais de ensino, universitários ou que atuam como unidade auxiliar de ensino. A proposta abrange 95 hospitais que realizam atividade de ensino em todos os estados brasileiros. Entre 2017 e 2020, serão investidos R$ 13 milhões no projeto.

Valéria Almeida, coordenadora do Projeto “Apice On” na Moura Tapajóz, afirma que o objetivo é que a Moura Tapajóz se torne referência nas melhores práticas de atenção obstétrica e neonatal. Para isso, os profissionais estão sendo qualificados, tornando multiplicadores desses conhecimentos.