MPF denuncia brasileiros e colombianos presos no AM por tráfico internacional de drogas

Réus foram flagrados transportando meia tonelada de maconha e 65 quilos de cocaína no rio Purus (AM)

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou dois brasileiros e cinco colombianos por tráfico internacional de drogas. Os réus foram flagrados, em maio deste ano, transportando mais de meia tonelada de maconha e 65 quilos de cocaína em uma embarcação na foz do rio Purus, no município de Anamã (a 195 quilômetros de Manaus). A apreensão ocorreu durante uma operação da Polícia Federal em prevenção ao tráfico de drogas no rio Amazonas.

De acordo com a denúncia, os policiais federais da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado avistaram a embarcação suspeita e abordaram os acusados por meio de sinais luminosos e sonoros para imobilização da lancha. Os sete denunciados, que estavam na lancha, ao perceberem a abordagem dos policiais, fugiram em alta velocidade. Os policiais conseguiram interceptar a lancha, após efetuarem disparos contra ela.

Dentro da embarcação, foram encontrados 21 cartuchos de munição de arma de fogo de uso permitido, além da grande quantidade de maconha e cocaína acondicionada em sacos plásticos, embaixo dos bancos da lancha, sem preocupação ou cuidado para escondê-la. Segundo investigações da Polícia Federal, a lancha foi alugada para realização de passeios turísticos.

A origem da droga, conforme o depoimento de um dos denunciados, era a Colômbia. A região em que a embarcação foi interceptada é rodeada por rios e igarapés e possui fácil acesso fluvial à tríplice fronteira (Brasil/Colômbia/Peru), configurando uma rota de tráfico internacional de drogas.

Na denúncia, o MPF pede a condenação de todos os réus por tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico, crimes previstos nos artigos 33 e 35 da Lei nº 11.343/06, e por porte ilegal de munição, que constitui crime conforme a Lei nº 10.826/03. As penas para os crimes variam de dois a 25 anos de prisão.

A ação criminal aguarda recebimento na 2ª Vara Federal.