NACIONAL: Pesquisa aponta que mais de 7 milhões de brasileiros têm rotina em cidade diferente da cidade em que reside

Espetáculo realizado no Centro de Manaus entrou para calendário da cidade (Foto: Chico Batata/Agecom)
Espetáculo realizado no Centro de Manaus entrou para calendário da cidade (Foto: Chico Batata/Agecom)

Ana Clara Barros tem 20 anos e é estudante da Universidade Federal de Goiás. Ela mora em Goiânia, mas estuda na Cidade de Goiás que fica a 142 quilômetros da capital goiana. Todos os dias, ela passa duas horas no ônibus para chegar ao local de estudo e depois, mais duas horas para voltar para casa. Ana Barros afirma que a rotina é exaustiva, mas que o esforço vale à pena. “Uma das maiores dificuldades é o cansaço físico, mesmo porque é uma viagem cansativa no ônibus quente, desconfortável, eu chego em casa meia noite e trinta e vou dormir uma hora, no outro dia eu tenho que acordar bem cedo. uma das maiores dificuldades é realmente lidar com o tempo e com o cansaço. eu fico muito tempo na estrada e tenho pouco tempo pra estudar.”
Uma pesquisa feita para o estudo Arranjos Populacionais e Concentrações Urbanas foi divulgada pelo IBGE. Mais de sete milhões de brasileiros se deslocam da cidade onde moram, para trabalhar ou estudar em outra cidade. Dessas 7,4 milhões de pessoas, mais de 60 por cento se deslocam para outra cidade em prol do estudo de ensino superior. O sociólogo Brasilmar Nunes, acredita que os universitários são os que mais se deslocam. “Essas condições urbanas, somente ou praticamente, exclusivamente, as grandes cidades ou médias cidades é que tem. Então você vai colocar um departamento, uma universidade que tenha um curso em física, em química, ou em biologia. Você não pode colocar isso em qualquer lugar. Você tem que colocar onde tenha uma demanda mais acentuada, de forma que o curso se viabilize. Ao risco de você colocar um programa desse em um lugar deserto e não vai ter aluno. Nem professor.”

As maiores concentrações se localizam nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Goiânia está entre as onze, que possuem entre um e dois milhões e meio de habitantes que se deslocam diariamente, juntamente com a Baixada Santista e São Luis do Maranhão.

Reportagem, Sara Rodrigues