Neymar desabafa sobre críticas e desempenho na Copa em comercial

Após um desempenho abaixo do esperado na Copa do Mundo da Rússia, Neymar sofreu com as críticas. Algumas delas devido ao futebol pouco produtivo apresentado pelo craque no mundial, além do excesso de quedas e de reclamações. O silêncio do jogador após a derrota para a Bélgica, que eliminou o Brasil da Copa, também foi motivo de comentários negativos.

Neste domingo (29), Neymar utilizou o comercial de um de seus patrocinadores, a Gillette, para se justificar e expor a sua versão diante das críticas recebidas. O desabafo foi ao ar durante o intervalo do programa Fantástico, da Rede Globo.

No depoimento, o atacante disse que “às vezes exagera mesmo” e que as pessoas não imaginam o que ele passa fora de campo. Na declaração, Neymar defende que sai sem dar entrevista porque ainda não aprendeu a decepcionar os torcedores. No desabafo, Neymar alegou que ainda existe um menino dentro dele e que sua luta é para manter esse menino vivo dentro de si mesmo, e não dentro de campo.

O craque também se defendeu das críticas e as comparou com a lesão sofrida antes do mundial. Neymar disse: “você pode achar que eu caí demais, mas a verdade é que eu não caí. Eu desmoronei. Isso dói muito mais do que qualquer pisão ou tornozelo operado”.

Ao fim da mensagem, o camisa dez do PSG disse que conta com a ajuda dos brasileiros para se reerguer diante dessas dificuldades. O craque declarou: “Eu caí, mas só quem cai pode se levantar. Você pode continuar jogando pedra, ou pode jogar essas pedras fora e me ajudar a ficar de pé. E quando eu fico de pé, parça, o Brasil inteiro levanta comigo”, disse o atleta.

Neymar passou a ser motivo de piadas e memes na internet que debocham da sua performance nos gramados e de algumas atitudes durante o mundial da Rússia. Com a imagem arranhada, o desafio do craque agora é tentar mudar a atual percepção que o público tem dele. Possivelmente a aparição deste domingo fez parte de uma estratégia voltada para a recuperação da imagem do atleta.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes