Nova vítima de Rafael Romano o denuncia por abuso sexual infantil em Manaus

Após ser denunciado pela própria neta, o desembargador aposentado Rafael Romano vai ser investigado e pode responder criminmente por mais um crime de estupro de vulnerável. Uma ex-empregada da família, hoje com 30 anos, revelou à polícia que foi aliviada por ele desde os 13 anos quando trabalhou de babá para as netas do desembargador.

A Delegacia Especializada de Proteção à Crianças e Adolescentes (Depca) instaurou um inquérito para apurar a nova denúncia contra Rafael Romano. Em depoimento no dia 20 de junho deste ano, a mulher contou que sofreu abusos sexuais entre os 13 e 14 anos. Ela foi abordada diversas vezes pelo desembargador quando saía da escola e ele chegou a ameaçá-la com uma arma de fogo. Mesmo dentro da casa da família, Romano fazia investidas sexuais, passando as mãos no seu corpo.

“Ele passava as mãos nas minhas coxas e me obrigava a fazer sexo oral nele dentro do carro. Os abusos teriam acontecido entre 2003 e 2004.

Romano também foi denunciado pela própria neta, hoje adolescente, que era aliciada desde os 7 anos. A mãe da garota denunciou o caso à polícia e à imprensa no ano passado.

Compartilhe