Nove pessoas envolvidas em homicídios são presas durante operação ‘Estado Presente”

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelos delegados Jeff David Mac Donald e Charles Araújo, titular e adjunto, respectivamente, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), apresentou balanço da primeira fase da operação “Estado Presente”, denominada “Arcanjo”, que culminou no cumprimento de mandados de prisão em nome de nove indivíduos, envolvidos em cinco homicídios ocorridos no bairro Cidade de Deus, zona norte da cidade.

De acordo com o delegado Jeff David Mac Donald, a operação foi deflagrada ao longo desta semana, onde foram cumpridos 12 mandados de prisão preventiva por homicídio qualificado e dois mandados de busca e apreensão. O titular da DEHS explicou queos cinco homicídios estão relacionados ao tráfico de drogas na zona norte da cidade e ocorreram no período de agosto de 2017 até fevereiro deste ano, no bairro Cidade de Deus.

Presos – Ângelo Vasconcelos de Melo, 22, chamado de “Panti”; Anderson dos Santos Costa, 26, o “Loirinho”; Jonathan de Oliveira Procópio, 21, conhecido como “Mascote”; Lucas Cruz Carioca, 19, o “Gordinho”, e Patrick Caldas Cruz, 22, faziam parte de um grupo que comandava o tráfico de drogas no conjunto Braga Mendes, bairro Cidade de Deus. O titular da DEHS informou que as ordens judiciais em nome de Ângelo, Patrick e Lucas foram cumpridas no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde o trio cumpre pena por crimes distintos.

Foram presos, ainda, Adenildo Silva Araújo, 31, chamado de “Deninho”; o sogro de Adenildo, Francisco Batista Façanha, 42; Alderlan Patrício da Silva, 25, conhecido como “Metal”, e David Feitosa Souza, 22, o “Casqueta”.

Organizações criminosas – Conforme Mac Donald, os nove indivíduos integravam dois grupos distintos que comandavam o tráfico de drogas em áreas diferentes do bairro Cidade de Deus.

“Ângelo, Anderson, Jonathan, Lucas e Patrick fazem parte de uma organização criminosa que atua na capital, que era comandada por Francisco Adelandio Marques Carioca, chamado de “Neném”, morto no dia 12 de fevereiro deste ano, no conjunto Braga Mendes, bairro Cidade de Deus, zona norte. “Neném” tinha 34 anos e era sobrinho do narcotraficante João Pinto Carioca, o “João Branco”. O bando é responsável pelo homicídio de quatro pessoas”, disse Mac Donald.

O titular da DEHS explicou que “Deninho”, Francisco Batista, Alderlan e David são integrantes de um grupo liderado por um homem identificado como Wilsomar Rodrigues Matos, o “Mazinho”, que está sendo procurado pela polícia. O grupo é responsável pela morte de Ítalo Cardoso Silva, ocorrida no dia 2 de fevereiro deste ano, na rua São Paulo, bairro Cidade de Deus. A vítima tinha 22 anos.

Crimes – O delegado Charles Araújo destacou que durante as investigações foi constatado que o bando comandado por Francisco Adelandio, o “Neném”, foi autor do homicídio de Francisco Soares de Souza, que era conhecido como “Preto”. Ele foi morto, aos 44 anos, no dia 26 de agosto de 2017, na rua Dom Bosco, Conjunto Braga Mendes, bairro Cidade de Deus.

“Francisco foi executado por estar cometendo roubos e furtos no conjunto Braga Mendes e, por isso, estaria chamando a atenção da polícia para aquela área da cidade. Ele foi alvejado por Ângelo e Anderson. Uma segunda vítima, Douglas Santos da Silva, foi morta no dia 26 de agosto de 2017, na mesma rua e bairro e, também, pelos mesmos motivos que Francisco. Douglas tinha 22 anos”, disse Araújo.

A terceira vítima, Pablo Alves da Silva, foi morta no dia 2 de janeiro deste ano, na rua da Paz, conjunto Braga Mendes, bairro Cidade de Deus. Pablo tinha 26 anos. Ele foi agredido fisicamente e teve o corpo jogado naquela rua por Jonathan.

“A quarta vítima foi José Wilson Soares de Souza. O homem foi morto no dia 16 de fevereiro deste ano, na rua Barão de Rio Branco, Conjunto Braga Mendes. Ele tinha 29 anos. Jonathan, Lucas e Patrick são os autores desse crime. Eles acreditavam que José Wilson teria envolvimento na morte do chefe deles, Francisco Adelandio”, afirmou Araújo.

O delegado adjunto da DEHS esclareceu que Adenildo, Francisco Batista, Alderlan e David estão envolvido no homicídio de Ítalo Cardoso da Silva. A vítima tinha 22 anos, foi agredida fisicamente e atingida por dois disparos de arma de fogo. Segundo o delegado, o mandante do crime seria Wilsomar Rodrigues Matos, o “Mazinho”, que está sendo procurado pela polícia.

“De acordo com as investigações, a vítima e um homem conhecido apenas como “Fernandinho” roubaram determinada quantidade de drogas de uma das bocas de fumo de “Mazinho”. Por isso ele ordenou que os comparsas matassem os dois indivíduos e ofereceu R$ 1 mil pelas execuções. “Deninho” efetuou o pagamento pelo serviço. Populares que presenciaram a ação criminosa ouviram “Casqueta” afirmar que quem mandava naquela área era o crime”, revelou o delegado adjunto da DEHS.

Indiciamentos – Ângelo, Anderson, Jonathan, Lucas e Patrick foram indiciados por quatro homicídios. Já Adenildo, Francisco Batista, Alderlan e David foram indiciados por um homicídio. Após os procedimentos cabíveis na especializada, os infratores serão conduzidos ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irão permanecer à disposição da Justiça.

FOTO: Erlon Rodrigues /Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Amazonas