Número de jovens desempregados cresce no Amazonas

Com a taxa de desemprego em alta, o número de jovens com idade entre 18 e 24 anos em busca de trabalho só aumenta no Amazonas. Dados do IBGE apontam que, em 2016, a população desocupada no estado, com essa faixa etária, era de 27,2%. Já no segundo trimestre deste ano, o índice subiu para 29,4%.

Além disso, informações da Pnad 2017 indicam que, em todo o país, 6,9 milhões de jovens com idade entre 18 e 24 anos não trabalham nem estudam.

Números como esses preocupam representantes do setor industrial, que veem isso como um sinal de alerta para a economia.

É o caso o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi. De acordo com ele, uma das maneiras de melhorar esse quadro é preparando esse jovem para o mercado de trabalho ainda no período escolar.

“Então nós temos um grande contingente de jovens que é vítima exatamente dessa baixa capacidade de diálogo entre o nosso modelo educacional e as opções e projetos de vida dos jovens que passam pela escola. Precisa haver um maior diálogo com relação a essa questão, como já acontece no resto no mundo.”

Quem tem uma história positiva para contar em relação a isso é o morador de São Lázaro, em Manaus, Stanley Fernandes dos Santos. Com 22 anos de idade, ele é recém formado em mecatrônica pelo SENAL e conta que a melhor escolha que fez, foi optar por um curso técnico.

“Eu estava desempregado, mas durante o curso eu tentei alcançar alguns estágios na área. Na verdade é que, se não fosse o curso, eu acho que eu nem estaria empregado hoje.”

Em países mais desenvolvidos, mais da metade dos jovens do ensino secundário cursa algum tipo de Educação Profissional, denominada Educação Vocacional. A informação consta em estudo da CNI, que faz parte de um grupo de propostas apresentadas aos candidatos à Presidência da República.

Com a colaboração de Marquezan Araújo, reportagem, Camila Costa