PCC tentou contratar ‘Lúcifer’ para assassinar inimigo ‘Zé Roberto’ dentro de presídio federal

José Roberto Fernandes Barbosa (Zé Roberto FDN)

Manaus – Bilhetes interceptados em um presídio do interior paulista revelam que o PCC (Primeiro Comando da Capital) tentou, em 2017, usar um assassino conhecido como Lúcifer, sem elo com a facção, para matar um rival detido no presídio de segurança máxima de Campo Grande (MS). A vítima do matador seria o narcotraficante amazonense Zé Roberto da Compensa, líder da Família do Norte (FDN).

A informação sobre o plano consta na denúncia da Operação Echelon, do MP-SP (Ministério Público de São Paulo), que acusou, há uma semana, 75 pessoas pelo crime de organização criminosa por integrarem a facção. O alvo do PCC era o traficante José Roberto Fernandes Barbosa, mandante do “Massacre de Manaus”, quando 56 presos foram assassinados durante o primeiro dia de 2017 na penitenciária da capital amazonense. Vinte e seis mortos eram integrantes do PCC.

Para matar Zé Roberto da Compensa e vingar aqueles que foram assassinados pela FDN, o PCC queria utilizar os serviços do detento Marcos Paulo da Silva, o Lúcifer. Preso há quase 20 anos, ele criou sua própria facção criminosa, a Carol Fininho, conhecida por retirar as vísceras de suas vítimas.

Bilhete foi encontrado pela polícia e indica o plano do PCC

Fonte: UOL

Compartilhe