PDT vira as costas para Amazonino, proíbe aliança com Arthur e pode arruinar sonho de reeleição

Manaus – Com o pleito eleitoral chegando, Amazonino Mendes parece que não anda bem. Isso porque, além da chuva de denúncias contra o seu governo, principalmente no que se refere à falta de segurança e os contratos milionários sem licitação, o atual governador do Amazonas ainda “pegou pernada” do próprio partido.

A direção regional do Partido Democrático Trabalhista (PDT) aprovou na noite desta quinta-feira (12) a proibição da aliança entre governador Amazonino Mendes (PDT) e o prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB). Os dois políticos já indicavam uma possível aliança (Amazonas Notícias chegou a falar sobre isso ontem em matéria publicada). Eles fecharam diversas parcerias entre o Governo o e a Prefeitura em um espaço pequeno de tempo. Em ano eleitoral essas parcerias querem dizer muita coisa.

A aproximação entre os dois partidos, PDT e PSDB, vem sendo sinalizada pelos dois líderes políticos nas últimas semanas. Porém, os representantes do partido não gostaram da ideia e limaram o nome de Amazonino, que é o nome mais forte da sigla, para concorrer a reeleição pela sigla.

Durante a reunião, os militantes do PDT aprovaramdois nomes da sigla ao cargo de governador do Estado. Tratam-se de Carlos Fernandes e Madalena de Souza.

Amazonino Mendes não é tratado como candidato. Para continuar no partido e ser o candidato a reeleição, ele vai ter que passar por uma espécie de prévias para ter seu nome confirmado.

Compartilhe